Arnica: Essa planta poderosa promove vários tipos de efeitos curativos

arnica com pilão

Resumo da matéria -

  • A arnica é um dos remédios homeopáticos mais populares do tratamento de dores
  • Na forma de suplemento, é encontrada em tabletes e comprimidos, contendo pequenas quantidades de extrato de arnica. Normalmente, ela não causa efeitos colaterais por conta de sua alta diluição
  • De qualquer forma, é melhor consultar seu médico antes de usar esse suplemento para confirmar a dosagem recomendada
Tamanho da fonte:

Todo mundo sofre com dores no corpo em algum momento da vida. Infelizmente, aliviar dores desse tipo não é fácil, especialmente com todos os possíveis efeitos colaterais dos analgésicos que dispensam prescrição. A boa notícia é que é possível usar alternativas naturais para aliviar as dores comuns. A arnica é um ótimo exemplo disso.

A arnica é um dos remédios homeopáticos mais populares para dores. Ela vem de uma variedade de espécies, sendo a mais comum a arnica montana (também conhecida como arnica montanhesa ou tabaco da montanha). Além de suas propriedades que favorecem o alívio de dores, ela também auxilia no tratamento de inflamações, infecções e acelera o processo de cura.

O que é a arnica?

A arnica é uma planta perene que cresce principalmente na Sibéria e na Europa, mas também pode ser encontrada em algumas partes da América do Norte. Ela pertence à família Compositae, estando assim relacionada ao girassol e à margarida.

A arnica geralmente floresce em terras a mais de 900 metros acima do nível do mar, chegando a uma altura de 30 a 60 centímetros. A arnica tem hastes redondas e capilarizadas, folhas verdes intensas e flores amarelo-alaranjadas que se parecem com as margaridas.

Frescas ou desidratadas, a flor e a raiz da arnica têm sido utilizadas para vários fins medicinais desde 1500. Guias que atuam nas montanhas suíças chegam a mastigar as folhas para prevenir fadiga durante as escaladas. Quando desidratadas, suas folhas também são fumadas para fins terapêuticos, o que lhes rendeu a alcunha de tabaco da montanha.

O principal ingrediente ativo que confere à arnica suas poderosas propriedades medicinais é a lactona, um composto químico conhecido por seus efeitos analgésicos e anti-inflamatórios. A arnica também é rica em timol, flavonoides, inulina, carotenoides e taninos.

É importante saber, porém, que o uso da arnica pura é geralmente desincentivado por profissionais de saúde e considerado perigoso pela FDA (órgão semelhante à Anvisa nos EUA), já que a sua forma pura é tóxica e pode causar graves complicações de saúde. Eu recomendo apenas o uso da arnica altamente diluída para o total proveito de seus benefícios homeopáticos sem risco à saúde.

Diferentes tipos de arnica que você pode usar

Na forma de suplemento, é encontrada em tabletes e comprimidos, contendo pequenas quantidades de extrato de arnica. Normalmente, ela não causa efeitos colaterais por conta de sua alta diluição. Contudo, é melhor consultar seu médico antes de usar esse suplemento para confirmar a dosagem recomendada.

Os chás de arnica também são uma opção, mas, antes de tomar, certifique-se de que a dosagem de arnica seja considerada segura. Não é recomendado fazer seu próprio chá com arnica fresca, especialmente se você não souber a quantidade certa a ser diluída7. Essa planta também é encontrada em soluções tópicas. Alguns tipos de arnica que você pode usar em aplicações externas são:

Nunca aplique a arnica diretamente em feridas abertas para prevenir irritações. Sugiro que você faça uma prova de toque antes do uso para prevenir quaisquer reações alérgicas à forma tópica da planta.

Usos mais comuns da arnica: Aliviar inchaços, machucados, dores e muito mais

Diferentes partes da arnica têm sido usadas há séculos em preparos medicinais. Essa poderosa planta é conhecida por seu uso nas seguintes aplicações:

Alívio de dores musculares — A arnica é conhecida como um analgésico natural. Na verdade, é um dos remédios holísticos que eu recomendo para aliviar dores no corpo causadas por trauma, cirurgia ou inflamação.

Trata-se de uma alternativa segura aos medicamentos anti-inflamatórios não-esteroides sem prescrição e outros remédios para dor.

Redução de inchaço — A arnica é amplamente conhecida por sua capacidade de reduzir inchaços, especialmente aqueles causados por torções, fraturas e picadas de insetos.

Promoção da cura de feridas e machucados — A arnica ajuda a acelerar o processo de cura, fazendo o corpo a produzir glóbulos brancos, o que limpa o sangue congestionado e dispersa os fluidos presos na área afetada.

Redução de problemas de visão relacionados à diabetes — Alguns estudos sugerem que a arnica pode ajudar a melhorar a microcirculação na retina, reduzindo o risco de problemas de visão causados pela diabetes.

Proteção contra infecções — Os compostos ativos da arnica têm a capacidade de proteger o corpo contra várias infecções bacterianas.

Alívio da osteoartrite — O suplemento de arnica ajuda a aliviar problemas comumente associados à osteoartrite, tais como rigidez e dor muscular.

Outras formas da arnica também podem ter as utilidades mencionadas acima. Por exemplo, o óleo de arnica pode ser usado para aliviar dores musculares e espasmos, enquanto o gel pode ser útil no tratamento de machucados e no alívio da osteoartrite nos joelhos e mãos.

Outros possíveis benefícios da arnica

Além dos usos tradicionais da arnica, alguns estudos sugerem que a planta passa oferecer os seguintes benefícios:

  • Auxílio na redução de úlceras orais causadas pela quimioterapia
  • Promoção do crescimento capilar
  • Atenuação da acne
  • Redução de sangramentos

Embora sejam necessários mais estudos para confirmar os numerosos benefícios da arnica, os pesquisadores sabem que os derivados do timol e da lactona são os grandes responsáveis pelas propriedades medicinais da planta, que é:

  • Anti-inflamatória
  • Analgésica
  • Antibacteriana
  • Anticoagulante

Graças a seu efeito terapêutico, a arnica é comumente utilizada por atletas e pacientes que passaram por procedimentos dentais ou cirúrgicos.

Alguns estudos confirmam os benefícios analgésicos e anti-inflamatórios da arnica

Embora a arnica venha sendo usada pela medicina tradicional há séculos, ainda há dúvidas quanto à sua eficiência, motivo pelo qual vários estudos já foram feitos com a planta. Embora alguns estudos contestem seus benefícios, outros confirmam os usos mais comuns.

Um estudo duplo-cego controlado por placebo, realizado em 2003, teve como enfoque os efeitos da arnica em corredores de maratona. Esse estudo envolveu 82 indivíduos, alguns dos quais tomaram comprimidos de arnica pela manhã, enquanto outros receberam placebos. Os resultados mostraram que o grupo que tomou o suplemento de arnica sentiu menos dores musculares após as corridas do que o grupo do placebo.

Um estudo recente, conduzido em 2016, também confirmou as propriedades anti-inflamatórias e analgésicas da planta após cirurgias. Este estudo foi publicado no American Journal of Therapeutics e seus resultados mostraram que a arnica pode ser uma alternativa válida para os analgésicos não-esteroides sem prescrição e para dores pós-operatórias.

Compreendendo os efeitos colaterais da arnica

Mesmo que a arnica altamente diluída seja geralmente considerada segura, ainda pode causar vários efeitos adversos, especialmente caso você seja alérgico a um composto chamado helenalina. Alguns dos efeitos colaterais envolvem:

Irregularidades cardíacas

Tontura

Tremores

Fraqueza

Vômito

Irritação na membrana mucosa e gastrointestinal

Danos no fígado

Problemas nos rins

Eu não recomendo o uso das formas tópicas dessa planta por tempo prolongado, pois ela pode causar problemas de pele como erupções cutâneas, bolhas, eczema e descamação.

Também é importante notar que esse remédio não é indicado para crianças, gestantes e lactantes, bem como para aqueles que têm a pele áspera e rachada, problemas de digestão e pressão alta. A arnica pode interagir com outros medicamentos, especialmente com analgésicos, esteroides e anticoagulantes.

Converse com seu médico sobre as melhores alternativas para o alívio das dores

Embora a arnica seja um analgésico e anti-inflamatório muito eficiente, é preciso compreender que esse suplemento pode não ser capaz de curar as causas subjacentes da dor, motivo pelo qual eu recomendo uma consulta com um profissional de saúde antes de iniciar o tratamento com esse remédio homeopático.

Seu médico pode ajudar a diagnosticar as possíveis causas das dores ou inchaços no corpo, além de identificar uma linha de tratamento eficiente e definitiva. Médicos familiarizados com remédios homeopáticos também saberão a melhor forma de utilização da arnica para o seu caso. A gestão bem-sucedida da dor requer certas mudanças na dieta e no estilo de vida.

Encontrar a melhor abordagem para as dores no corpo podem levar algum tempo. Porém, com a ajuda do seu médico e de remédios naturais, você eventualmente encontrará a cura e o alívio.

Perguntas frequentes sobre a arnica

P: A arnica funciona?

R: Sim, seus efeitos analgésicos e anti-inflamatórios já foram comprovados. Sua eficiência não é sustentada apenas pela crença tradicional, mas também por estudos científicos modernos.

P: O que é o óleo de arnica?

R: O óleo de arnica deriva das flores da arnica montana. Geralmente, ele é usado por atletas para alivívio do inchaço e dores musculares. Ela também pode ser usada em perfumes e produtos para o cabelo como loções anti-caspa e tônicos capilares.

P: O que a arnica faz?

R: A arnica contém componentes que auxiliam no combate a inflamações, aliviam dores e estimulam a atividade celular para promover a cura.

P: Quais são os usos da arnica?

R: A arnica é tradicionalmente usada para reduzir dores e inchaços causados por condições médicas ou machucados, como torções, fraturas, excesso de exercícios ou artrite. Ela também pode ajudar a tratar a acne, promover o crescimento capilar, curar machucados e feridas, além de reforçar o corpo contra infecções bacterianas.

P: Quando se deve tomar arnica?

R: A arnica é usada como uma alternativa natural aos analgésicos, o que significa que você deve usá-la em vez de recorrer a remédios sem prescrição. Por exemplo, use quando sentir dores leves, artrite ou cãibras.

Porém, para ferimentos sérios e dores crônicas, é melhor consultar seu médico e receber um diagnóstico adequado em vez de depender desta planta.