Oito sinais de que você pode ter uma deficiência de B12

homem pensando demais

Resumo da matéria -

  • Oito sinais de que você pode ter uma deficiência de vitamina B12 incluem fadiga, anemia, náusea, problemas digestivos, fraqueza, infecções na pele, confusão mental e problemas nervosos
  • Áreas do seu corpo que funcionam de maneira ideal quando os níveis de B12 estão adequados revelam o quão vital essa vitamina realmente é, especialmente por ser responsável pela produção de glóbulos vermelhos no sangue e por manter o seu sistema nervoso saudável
  • Você pode não se dar conta de quão abrangente e debilitante pode ser a deficiência de vitamina B12 até que sintomas como a fadiga, náusea, problemas de visão e outros se transformem em doenças e transtornos mais sérios
  • Como a maioria das vitaminas, a B12 não é produzida pelo seu corpo, portanto é preciso absorvê-la de outras fontes — a saber, alimentos e suplementos
  • Um verme chamado C. elegans, que assim como os humanos não produz sua própria B12, ajudou os cientistas na descoberta de que a deficiência dessa vitamina pode aumentar o risco de infecção por dois patógenos potencialmente letais
  • Diversas regiões do corpo podem ser afetadas gravemente se os níveis de B12 estiverem baixos, o que ajuda a explicar porque icterícia, demência, anemia e osteoporose podem, todas, ocorrer como resultado desse problema
Tamanho da fonte:

Ao experimentar sintomas como fadiga, dormências, náuseas com tontura, visão embaçada ou uma tendência maior para esquecer coisas, você pode vislumbrar muitos cenários diferentes. Alguns deles podem ser assustadores, mas uma possibilidade que você pode não ter considerado é a deficiência de vitamina B12 (também conhecida como cobalamina).

Quase metade da população norte-americana tem níveis sanguíneos de vitamina B12 abaixo do desejado, mas a sintomatologia é muito variada e torna difícil definir com precisão quantas pessoas sofrem com essa deficiência, de acordo com a Harvard Health, que descreveu a sintomatologia "sorrateira" por trás dos sintomas aparentemente não relacionados no caso de um homem de 62 anos de idade, que se desenvolveu durante dois meses.

De acordo com o relatório desse caso, publicado no The New England Journal of Medicine, ele tinha:

"Dormência e sensações de 'formigamento' em suas mãos, problemas para caminhar, sentia dor aguda nas articulações, sua pele começou a ficar amarelada, e ele tinha cada vez menos fôlego... poderia ter sido pior — uma deficiência severa de vitamina B12 pode levar à depressão profunda, paranoia e delírios, perda de memória, incontinência, perda do paladar e do olfato, e mais."

É problemático o fato de que os sintomas descritos acima levem as pessoas a focar no tratamento desses sintomas ao invés de investigar as causas do problema. Mais cedo ou mais tarde, a menos que seja enfrentada de frente, a falta de vitamina B12 em seu corpo pode ser tão devastadora que transtornos sérios, como a doença de Alzheimer, a doença de Crohn e danos cerebrais irreversíveis podem acabar cobrando seu preço.

Sintomas da Falta de Vitamina B12 Não São Tão Desconexos Como Se Pensava

A lista de sintomas que pode ser "colocada nas costas" da deficiência de B12 é bem longa, mas muitos dos sintomas estão associados com o seu sistema nervoso central. A falta de B12 em seu sistema também pode ser percebida se você sentiu sua visão ruim, fraqueza, formigamento em suas mãos e pés e incidências de se sentir "desastrado". Oito sintomas comuns que indicam níveis baixos de B12 são:

Fadiga

Anemia

Náusea

Problemas digestivos

Fraqueza

Infecções na pele

Confusão mental

Problema neurológicos

Mas também é importante entender que diversas áreas do corpo podem ser afetadas gravemente pela deficiência de vitamina B12, e que, embora muitos dos sintomas não pareçam estar relacionados, como diz o ditado, uma coisa leva a outra.

Baixos Níveis de B12 Podem Causar Anemia, Que Tem Seu Próprio Conjunto de Sintomas

Como é verdade para todo ser humano, a vitamina B12 é necessária para manter seu sistema nervoso saudável, bem como para produzir DNA, que é o material genético em todas as células. A B12 também é necessária para a produção dos glóbulos vermelhos do sangue, que transportam oxigênio através do seu corpo.

Mas com a escassez de B12, muitos dos seus glóbulos vermelhos se formam de maneira anormal e/ou com tamanho incorretos, e não são capazes de transportar oxigênio; o processo então é interrompido. Um número muito pequeno de glóbulos vermelhos, ou uma quantidade mais baixa que o normal de hemoglobina individualmente nas células sanguíneas, causa anemia, um dos sinais mais comuns e perceptíveis de que a falta da vitamina está se tornando um problema.

A anemia pode causar alguns dos sintomas listados anteriormente, tais como fraqueza, fadiga, tontura, mãos e pés frios, pele pálida e dores no peito, que ocorrem porque seu coração tem que trabalhar mais para movimentar o sangue rico em oxigênio pelo seu corpo, conforme relata o National Heart, Lung, and Blood Institute (NHLBI). Isso, por sua vez, pode levar a batimentos cardíacos irregulares ou arritmia, inchaço do coração e até mesmo uma parada cardíaca.

Reconhecer a deficiência de B12 o mais cedo possível é crucial, já que quando deixada sem acompanhamento ela pode levar a danos permanentes ao seu corpo. De acordo com o Instituto Linus Pauling, a deficiência de vitamina B12 também pode ser a culpada em diversas outras doenças e condições sérias, incluindo:

Câncer de mama

Inflamação crônica do estômago

Depressão

Defeitos na formação do tudo neuronal

Osteoporose

Câncer gástrico

Disfunção da tireoide

Danos ao DNA

Como a Falta de B12 Pode Causar 'Formigamentos', Icterícia e Demência?

Visto que a B12 — e portanto sua a falta — está relacionada intimamente com o seu sistema nervoso, o sinal conhecido como 'formigamento' é um daqueles que indicam algum problema nervoso que deveria ser abordado o mais rápido possível, e demonstra quanto as funções do seu corpo estão interconectadas.

Como a vitamina B12 é importante para a manutenção do sistema nervoso, incluindo na condução de impulsos nervosos e na produção do revestimento de mielina, ela protege e oferece "insulamento" para seus nervos. Sem esse insulamento protetor, seus nervos podem ser danificados, levando a sintomas como o "formigamento" em suas mãos e pés, bem como danos ao sistema nervoso central e periférico.

Se você reparou que sua pele apresenta uma aparência pálida ou com sinais de icterícia, esse é um alerta de que seu corpo não está produzindo uma quantidade adequada de glóbulos vermelhos. Você pode não ter pensado a respeito disso antes, mas são os glóbulos vermelhos em sua corrente sanguínea circulando logo abaixo da sua pele que dão a ela sua cor saudável.

A deficiência de vitamina B12 pode causar anemia megaloblástica, que pode enfraquecer suas células sanguíneas, e depois disso outros sintomas começam a surgir. Quando seu fígado decompõem glóbulos vermelhos do sangue, ele libera bilirrubina, uma substância de cor marrom que dá à sua pele a aparência de icterícia, observada com frequência em crianças.

Como se não fossem problemas o suficiente, as pessoas com níveis baixos de B12 também podem sofrer com dificuldades para pensar com clareza, o que mais tarde se torna uma condição que os médicos denominam déficit cognitivo ou demência.

Com frequência os sintomas se tornam evidentes quando alguém apresenta dificuldades de raciocínio e perda de memória, mas geralmente esses problemas são o foco do tratamento ao invés de se explorar a possibilidade de uma deficiência de B12 que, se abordada, poderia aliviar os sintomas.

Uma revisão abrangente feita na Austrália em 2012 revelou conexões entre níveis baixos de B12 e doenças neurodegenerativas. Um total de 43 estudos revelou que "faixas subclínicas de baixas a normais estão associadas com a doença de Alzheimer, demência vascular e mal de Parkinson." Outro estudo notou:

"A deficiência de vitamina B12 deve ser sempre investigada quando um paciente apresenta perda de memória, já que esse quadro é geralmente reversível quando tratado. Muitos sintomas neuropsiquiátricos foram observados, e muitos deles em pacientes que não apresentam anemia megaloblástica.

Esses sintomas incluem perda de memória, psicose, incluindo alucinações e delírios, fadiga, irritabilidade, depressão e alterações na personalidade."

A Deficiência de B12 Geralmente Fica Aparente em Sua Boca

Um sintoma de anemia que é observado com frequência são as úlceras bucais, também conhecidas como aftas ou ulceração aftosas, pequenas úlceras amarelas ou brancas que podem surgir nas gengivas ou na mucosa interna dos lábios. Embora geralmente desapareçam em uma ou duas semanas, elas costumam causar bastante dor.

Mas uma deficiência de B12 também pode causar outros sintomas visíveis em sua boca, inclusive na sua língua. Um estudo relata a experiência de uma paciente de meia idade — um grupo demográfico comum para os sintomas dela — com uma sensação persistente de queimadura em sua língua por vários meses.

Diagnosticada com glossodínia, que deixa a língua caracteristicamente inchada, lisa e avermelhada, ela recebeu uma única injeção de vitamina B12, que "resultou no desaparecimento completo de seus sintomas e sua língua retornou à aparência clínica normal depois de três dias."

Falta de B12 Conduz a Um Risco Maior de Infecções Por Dois Patógenos Potencialmente Letais

Pessoas com deficiência de vitamina B12 apresentam um risco maior de infecções por dois patógenos potencialmente letais. Descobertas foram feitas em um estudo publicado no periódico PLOS Genetics envolvendo nematódeos, ou vermes, com 1 milímetro de comprimento (do tamanho da ponta de uma caneta) chamados Caenorhabditis elegans (C. elegans), um dos organismos mais básicos no planeta.

Foi vital para o estudo o fato de que os nematódeos compartilham uma característica interessante com os seres humanos: Eles também não são capazes de produzir sua própria vitamina B12. Como relatado pela MedIndia, o estudo envolveu duas populações dos animais, uma delas recebendo uma dieta com B12 suficiente e outra não, demonstrando que uma dieta deficiente de B12 é nociva para a saúde dos vermes em um nível celular, ao reduzir sua habilidade de metabolizar aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA, do inglês, branched-chain amino acids):

"A pesquisa demonstrou que a habilidade reduzida para decompor os BCAAs levou a um acúmulo de subprodutos de BCAA parcialmente metabolizados que causam danos à saúde mitocondrial ... 'Usamos o C. elegans para estudar o efeito da dieta em um hospedeiro e descobrimos que um tipo de alimento foi capaz de aumentar dramaticamente a resistência à múltiplos agentes estressores — como o calor e radicais livres — bem como a patógenos', disse [a pesquisadora Natasha Kirienko]."

Muitos laboratórios ao redor do mundo utilizam o C. elegans para estudar os efeitos de doenças. Ao alimentar vermes E. coli, uma bactéria intestinal comum e às vezes nociva, e alternando entre as linhagens OP50 e HT115 de E. coli, a tolerância dos vermes ao estresse foi “modificada dramaticamente”, disse Kirienko.

"Descobrimos que alternar entre as linhagens OP50 e HT115 de E. coli modificou dramaticamente a tolerância dos vermes ao estresse." O co-autor do estudo, Alexey Revtovich, ressaltou:

"A diferença crucial entre as duas dietas é a habilidade das linhagens HT115 e OP50 de absorver B12 do seu ambiente ... Demonstramos que a HT115 é bem mais eficiente nisso, produzindo uma quantidade até oito vezes maior da proteína necessária para a absorção de B12, quando comparada com a OP50."

Significativamente, a equipe também descobriu que o C. elegans recebendo a mesma dieta que a linhagem HT115 obteve a habilidade de resistir a infecções por outro patógeno letal para os humanos, o Enterococcus faecalis, uma das principais causas de infecções hospitalares, e reconhecido pela Organização Mundial da Saúde e pelos Centros de Prevenção e Controle de Doenças (CDC) nos EUA como um super micróbio.

Kirienko ressaltou que a descoberta sobre a B12 surpreendeu a equipe. Eles notaram o efeito ao estudar "os mecanismos de patogênese da Pseudomonas aeruginosa (P. aeruginosa), bactéria potencialmente mortal em ambos vermes e humanos, e que infecta aproximadamente 51.000 pacientes por ano em hospitais dos EUA", de acordo com o CDC.

Riscos Maiores e Como Otimizar Seus Níveis de Vitamina B12

Algumas pessoas apresentam riscos maiores que outras quando se trata de deficiências minerais ou vitamínicas, mas nesse caso os veganos e vegetarianos estão particularmente sob risco pois a vitamina B12 é derivada de produtos de origem animal. Além disso, adultos com mais idade e pessoas com problemas gastrointestinais ou com absorção ruim de nutrientes também estão sujeitas a um risco maior.

Estudos também demonstraram que pessoas sob prescrição de metformina (para diabetes) e uso prolongado de inibidores da bomba de prótons (para acidez estomacal) também estão sob um risco maior de apresentar deficiência de vitamina B12, levando os pesquisadores a sugerir que "parece prudente monitorar periodicamente os níveis de vitamina B12 em pacientes consumindo metformina".

Como a vitamina B12 não é produzida pelo seu corpo, é preciso absorvê-la de outras fontes — a saber, alimentos e suplementos. Dito isso, boas fontes de cobalamina, ou vitamina B12, incluem:

Carne e fígado de gado criado de maneira orgânica

Carne de cordeiro

Carne de Veado

Moluscos

Carne de frango e ovos, orgânicos e caipiras

Leite integral de gado criado de maneira orgânica

Levedura alimentar

Como suplemento, de acordo com o National Institutes of Health (NIH), a pessoa mediana a partir dos 14 anos de idade deveria consumir 2,4 microgramas (mcg — um milionésimo de uma grama) de vitamina B12 por dia; mulheres gestantes deveriam consumir 2,6 mcg; e lactantes deveriam consumir 2,8 mcg por dia. Recém-nascidos e crianças até os 13 anos precisam de valores diários entre 0,4 e 1,8 mcg.

O tipo de suplemento de vitamina B12 que você deveria consumir também é algo a se considerar. Entre a cianocobalamina, a forma sintética, e a metilcobalamina, que é a forma natural encontrada nos alimentos, a metilcobalamina é a melhor opção, e um dos motivos para isso é o fato de que seu corpo retém a forma natural em quantidades maiores.