Glutationa: o "Antioxidante Mestre" que seu corpo necessita

alimentos antioxidantes

Resumo da matéria -

  • Conhecido como o “antioxidante mestre”, a glutationa ajuda a proteger suas células contra danos oxidativos
  • A glutationa é um poderoso antioxidante produzido naturalmente pelo organismo. É um dos suplementos mais comentados nos dias de hoje, pois oferece uma longa lista de benefícios
Tamanho da fonte:

A glutationa é um poderoso antioxidante produzido naturalmente pelo organismo. A glutationa é um poderoso antioxidante produzido naturalmente pelo organismo. É um dos suplementos mais badalados atualmente, pois oferece uma longa lista de benefícios – desde ajudar a prevenir danos oxidativos até melhorar a saúde da pele e proteger o sistema imunológico.

Também é encontrado e usado por todas as células e tecidos do corpo, tornando-se uma molécula vital para vários processos fisiológicos. No entanto, existe uma variedade de fatores que podem esgotar os níveis de glutationa do seu corpo ao longo do tempo, resultando em vários problemas de saúde, incluindo o enfraquecimento do sistema imunológico, mutações celulares e maior suscetibilidade ao câncer.

Continue lendo para saber mais sobre a importância deste antioxidante natural e as formas de manter os níveis do mesmo em seu corpo.

O que é a glutationa?

A glutationa é uma pequena molécula tripeptídica composta de três aminoácidos: glutamato (também conhecido como ácido glutâmico), cisteína e glicina. Ele é frequentemente chamado de “antioxidante mestre” ou “pai de todos os antioxidantes”, pois ajuda a reciclar e a maximizar a função de outros antioxidantes, como vitamina C, vitamina E, coenzima Q10 e ácido alfa-lipóico.

Existem duas formas de glutationa: a glutationa reduzida (GSH), também denominada L-glutationa, e a glutationa oxidada (GSSG). Quando as moléculas de GSH exercem seus efeitos antioxidantes sobre as espécies reativas de oxigênio, elas se oxidam e se transformam em GSSG.

Os produtos de glutationa disponíveis comercialmente contêm a glutationa em sua forma reduzida, já que esta é a forma ativa. É por isso que o termo “L-glutationa” se alterna em publicações com o nome glutationa.

De acordo com um estudo publicado no Journal of Integrative Medicine, a proporção de GSH para GSSG determina o status de redox celular. Uma proporção de 1 a 10 significa que as células estão expostas ao estresse oxidativo. O sistema da glutationa também é composto por dois grupos de enzimas: glutationa peroxidase (GPx) e glutationa S-transferases (GSTs) - ambas mediam os seus efeitos antioxidantes.

Embora a glutationa seja naturalmente sintetizada em suas células, os níveis em seu corpo podem diminuir, especialmente com a idade; Além disso, a glutationa não age sozinha em seu corpo - ela precisa de coenzimas para desempenhar seus vários papéis.

Seus níveis de glutationa também podem ser afetados por certas doenças, como câncer, síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS), diabetes tipo 2, hepatite e doença de Parkinson. Outros fatores externos que podem esgotar essa substância essencial incluem:

Dieta desbalanceada

Poluição

Toxinas

Medicamentos

Estresse

Trauma

Radiação UV

Algumas pessoas recorrem aos suplementos orais de glutationa na forma líquida ou em cápsulas para otimizar seus níveis do antioxidante. Um tipo de suplemento de glutationa que dizem ser formulado para uma absorção ideal é a glutationa lipossomal.

Não se esqueça, porém, que a suplementação oral é cara e pode não ser eficaz, uma vez que a glutationa é quebrada nos intestinos, impedindo assim que ela entre intacta nas células. A glutationa também é administrada por via intravenosa, intramuscular, tópica ou inalatória.

Uma das melhores maneiras de aumentar seus níveis de glutationa é através da ingestão de alimentos que ajudam a aumentar a produção em seu corpo, particularmente aqueles que contêm quantidades elevadas de enxofre, como o soro de leite em pó (whey) de alta qualidade.

Alimentos a consumir se você deseja otimizar seus níveis de glutationa

A glutationa ocorre naturalmente em alguns alimentos, incluindo aspargos crus, amêndoas, espinafre, brócolis, nozes, alho, tomate, pepino, agrião e cebolinha. No entanto, ela pode não ser bem absorvida através dessas fontes alimentares. Os métodos de cozimento, armazenamento e cultivo também podem reduzir a quantidade de glutationa nos alimentos.

Felizmente, você não precisa ingerir alimentos ricos em glutationa apenas para obter esse antioxidante. Também é possível maximizar a capacidade do seu corpo de sintetizá-lo ao ingerir alimentos ricos em seus precursores, como por exemplo:

Whey protein em pó — As proteínas presentes no soro do leite (Whey protein) fornecem os aminoácidos que o seu corpo necessita para produzir a glutationa. Além disso, ele contém um resíduo de cisteína único conhecido como glutamilcisteína, que é altamente bioativo em sua capacidade de ser convertido em glutationa.

Ao comprar o whey protein, certifique-se de escolher um produto prensado a frio que seja derivado de animais terminados a pasto para garantir que ele esteja livre de substâncias químicas nocivas, hormônios e açúcar.

Allium e vegetais crucíferos — Vegetais do gênero Allium, como alho, cebola, alho-poró e cebolinha, bem como vegetais crucíferos como brócolis, couve-flor, couve, repolho e couve de Bruxelas têm grandes quantidades de aminoácidos contendo enxofre, que são essenciais para produção de glutationa.

Carne terminada a pasto e ovos — A carne de animais terminados a pasto e os ovos galinhas criadas livres também são excelentes fontes de aminoácidos contendo enxofre.

O selênio também desempenha um papel importante na formação da glutationa, portanto, o consumo de alimentos ricos nesse nutriente pode ajudar a melhorar os níveis do antioxidante no seu corpo. Algumas fontes dietéticas de selênio incluem vísceras, frutos do mar e pescados. Alimentos que contêm ácido alfa-lipóico (ALA) também podem promover a produção de glutationa no organismo. Estes incluem carnes orgânicas, espinafre, brócolis e couve de Bruxelas.

12 Benefícios da Glutationa para o seu bem-estar

A glutationa proporciona uma ampla gama de benefícios para a saúde, graças às suas poderosas propriedades antioxidantes. Alguns desses benefícios incluem:

1. Ajuda a combater o estresse oxidativo ⁠— Baixos níveis de glutationa têm sido associados ao estresse oxidativo elevado, o que pode levar a uma série de problemas graves de saúde, como diabetes, câncer e artrite reumatoide, para citar alguns. Estudos mostraram que a manutenção de níveis normais de glutationa pode ajudar a proteger o organismo contra danos oxidativos.

2. Ajuda a controlar a inflamação ⁠— De acordo com um estudo de 2009 publicado na revista Autoimmunity Reviews, a glutationa pode ajudar a regular a inflamação, estimulando ou inibindo a resposta imunológica do seu corpo.

3. Ajuda a manter afastados os problemas de saúde relacionados à idade ⁠— Pesquisas mostram que melhorar a síntese de glutationa através de maior ingestão de cisteína na dieta pode ajudar a evitar problemas de saúde relacionados à idade, pois ela tem um efeito benéfico na saúde muscular e vascular, densidade óssea e função cognitiva.

4. Ajuda no tratamento da doença de Parkinson e Alzheimer ⁠— as doenças de Parkinson e Alzheimer estão ligadas ao estresse oxidativo e aos baixos níveis de glutationa. Aumentar a quantidade desse antioxidante em seu corpo pode ajudar a retardar ou melhorar a progressão desses distúrbios neurodegenerativos.

5. Ajuda a combater infecções ⁠— De acordo com um estudo de 2013 publicado na Biochimica Et Biophysica Acta, a glutationa pode ajudar a combater infecções microbianas, virais e parasitárias, aumentando a atividade funcional das células imunológicas e melhorando sua imunidade inata e adaptativa.

6. Ajuda no controle do autismo ⁠— O estudo mostra que as crianças com autismo têm níveis mais baixos de glutationa, colocando-as em maior risco de danos neurológicos causados pelo estresse oxidativo.

7. Ajuda a reduzir o impacto do diabetes tipo 2 descontrolado ⁠— A hiperglicemia não controlada é frequentemente acompanhada por baixos níveis de glutationa, o que pode levar a um maior estresse oxidativo e dano aos tecidos.

Pesquisas mostram que aumentar o nível desse antioxidante no seu corpo pode ajudar a protegê-lo contra o dano oxidativo, apesar da hiperglicemia persistente.

8. Ajuda a melhorar a saúde do coração ⁠— Estudos mostram que o aumento dos níveis de glutationa pode reduzir o risco de ataque cardíaco e outras doenças cardiovasculares, uma vez que protege os tecidos do coração contra o estresse oxidativo.

9. Ajuda a melhorar a saúde da pele ⁠— Um estudo de 2017 publicado na Clinical, Cosmetic and Investigational Dermatology mostra que as formas reduzidas e oxidadas de glutationa podem ajudar a reduzir o aparecimento de rugas e melhorar a elasticidade da pele.

10. Ajuda a aumentar a mobilidade de pessoas com doença arterial periférica ⁠— Um estudo mostra que a glutationa pode ajudar a melhorar a circulação arterial das pernas e prolongar a distância percorrida sem dor (PFWD) em pacientes com doença arterial periférica.

11. Ajuda a tratar a psoríase ⁠— A Psoríasis Vulgaris (psoríase vulgar) é uma doença autoimune comum que está ligada a níveis mais elevados de estresse oxidativo e inflamação sistêmica. Pesquisas mostram que o aumento dos níveis de glutationa devido ao consumo de proteínas do soro de leite (whey) pode ajudar no tratamento de pacientes com psoríase.

12. Ajuda a prevenir a anemia em pacientes com insuficiência renal crônica ⁠— Pesquisas mostram que a glutationa pode ajudar a aumentar os níveis de hemácias em pacientes que sofrem de insuficiência renal crônica e fazem hemodiálise, tornando-a um composto útil no controle e tratamento da anemia em pacientes com insuficiência renal crônica.

Além dos benefícios mencionados acima, a glutationa também pode ser usada para tratamento de catarata, glaucoma, hepatite e distúrbios respiratórios, como fibrose pulmonar idiopática e fibrose cística. Também pode ajudar a reduzir os danos celulares em pessoas com doença hepática gordurosa alcoólica e não alcoólica.

Estudos mostram que a deficiência de glutationa está ligada a diversos problemas de saúde

A deficiência de glutationa torna você mais suscetível ao estresse oxidativo, e por esse motivo que é considerado um fator-chave na patogênese de diversos problemas de saúde. Numerosos estudos confirmaram sua influência no desenvolvimento, progressão e prognóstico de várias doenças.

Um estudo publicado no Journal of Inherited Metabolic Diseases, por exemplo, mostra que a deficiência de glutationa contribui para a natureza progressiva das doenças mitocondriais, pois dificulta a capacidade do corpo de combater o estresse oxidativo e prejudica a atividade da cadeia de transporte de elétrons (CTE), essencial para o bom funcionamento celular.

Um outro estudo também vinculou a deficiência de glutationa à progressão da fibrose pulmonar idiopática (FPI), uma doença pulmonar de etiologia desconhecida. O nível de glutationa no trato respiratório inferior de pacientes com FPI foi comparado ao dos participantes saudáveis não fumantes. O resultado mostra que o nível de glutationa dos pacientes com FPI é menor que os saudáveis, confirmando o papel da deficiência de antioxidantes na patogênese da FPI.

Níveis diminuídos de glutationa também podem ser observados em pacientes com infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV). De acordo com um estudo de 2012 publicado na Clinical and Developmental Immunology, pessoas com infecção pelo HIV apresentam níveis mais baixos de GSH e níveis mais altos de GSSG, o que diminui a atividade antioxidante do corpo, resultando em perda da função imunológica em pacientes com HIV.

Algumas das outras doenças que podem ser afetadas por baixos níveis de glutationa incluem a doença de Alzheimer, doença hepática, anemia falciforme, câncer, derrame, diabetes e problemas cardíacos, entre outros. Além disso, a fertilidade masculina pode ser negativamente afetada pelos baixos níveis de glutationa, e ela foi considerada como uma possível terapia para a saúde e número de espermatozoides.

Efeitos colaterais que você pode encontrar ao tomar suplemento de glutationa

A glutationa é considerada segura para uso quando administrada por via oral, intravenosa ou inalatória, mas ainda assim pode causar efeitos colaterais, incluindo:

  • Cólicas abdominais
  • Inchaço
  • Flatulência e diarreia
  • Reações alérgicas, como coceira e erupções cutâneas

Os pesquisadores ainda não sabem ao certo se a glutationa é segura para mulheres grávidas e lactantes, portanto, se você se enquadrar em uma dessas categorias, é prudente evitar os suplementos de glutationa para garantir a segurança de seu bebê. Você também deve evitar o uso de inalantes de glutationa se você tiver asma, uma vez que isto pode exacerbar seus sintomas.

Adote um estilo de vida saudável para manter níveis saudáveis de glutationa

Como mencionado acima, consumir alimentos que contêm os precursores da glutationa é uma das melhores maneiras de estimular a produção deste antioxidante em seu corpo. Mas, além disso, você também deve praticar hábitos de vida saudáveis para maximizar a capacidade do seu corpo de combater os radicais livres.

Eliminar açúcar, grãos e alimentos processados de sua dieta é uma ótima maneira de diminuir o estresse oxidativo. Certifique-se de que você também está praticando exercício suficiente para aumentar a capacidade do seu corpo de produzir glutationa. Controlar seus níveis de estresse e dormir o suficiente também ajudam a inibir os efeitos nocivos dos radicais livres.

+ Recursos e Referências