Sua gula por doces está te colocando no caminho de um 'Sugar Crash' (hipoglicemia reativa)?

alimentos processados

Resumo da matéria -

  • Em média, os Irlandeses estão consumindo 24 colheres de chá de açúcar por pessoa diariamente, comparado com 31,6 colheres de chá diariamente nos EUA, os maiores consumidores de açúcar no mundo
  • A Organização Mundial da Saúde recomenda limitar o consumo de açúcar a 6 colheres de chá por dia para proteger sua saúde
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Em média, os Irlandeses estão consumindo 24 colheres de chá de açúcar por pessoa diariamente, enquanto a Organização Mundial da Saúde recomenda limitar o consumo diário a 6 colheres de chá por dia para proteger sua saúde. Em comparação, nos EUA, os maiores consumidores de açúcar do mundo, o norte-americano médio consome 31,6 colheres de chá de açúcar por dia.

Existem mais de 50 nomes diferentes para descrever o açúcar em rótulos de alimentos, e isso significa que se você está tentando remove-lo da sua dieta, é bom se familiarizar com os muitos pseudônimos.

Mesmo comidas salgadas como pizza e molho de macarrão recebem adição de açúcar, e o mesmo também acontece com condimentos populares como o ketchup e molhos para saladas. Bebidas adocicadas, por si só, contém entre 10 e 11 colheres de açúcar em cada lata, o que te coloca bem acima do limite diário recomendado.

Como Tanto Açúcar se Infiltrou em Nossas Dietas?

A Irlanda era o país mais magro da Europa depois da Segunda Guerra Mundial, e o aumento de peso que ocorreu entre as décadas de 1950 e 1960 foi visto como uma coisa boa. Entretanto, o peso médio alcançou o restante da Europa em torno dos anos de 1970 e continuou aumentando, tanto que a previsão é que a Irlanda se torne o país mais obeso da Europa por volta de 2030.

A culpa pela expansão das linhas de cintura, novamente, cai em grande parte sobre a dieta. Como aconteceu nos EUA, os fabricantes de alimentos e agências de saúde começaram a tratar a gordura como a vilã, iniciando a remoção da gordura nos alimentos na década de 1970. Sem a gordura para dar o sabor bom aos alimentos, os fabricantes optaram por outros aditivos menos saudáveis, nesse caso, sal e açúcar processados.

O Dr. Robert Lustig, professor de endocrinologia pediátrica na Universidade da Califórnia em São Francisco (USCF), explicou que o açúcar era adicionado de tal maneira que tornava a comida irresistível. Se você acha difícil parar de comer comidas doces, ou sente que quanto mais você come, mais quer comer, isso acontece porque o açúcar vicia.

O açúcar estimula a liberação de dopamina, um neurotransmissor que desempenha um papel em via neuronais importantes, mais notavelmente a via mesolímbica. A maneira como a dopamina afeta seu cérebro nessa área muda com o vício e gera picos em sua percepção de motivação ou prazer.

De fato, evidências em humanos mostram que o açúcar pode induzir respostas à recompensas e desejos que são comparáveis àqueles induzidos por drogas viciantes, o que pode "explicar porque tantas pessoas podem ter dificuldade … [para controlar] o consumo de alimentos com alto teor de açúcar quando são expostas a eles continuamente".

Mesmo Que Você Seja Magro e 'Saudável', o açúcar pode estar destruindo a sua saúde

O açúcar te faz armazenar quilos em excesso e impede que seu corpo queime gordura corporal. Ele também foi considerado uma causa primária de obesidade, mas mesmo que você não esteja acima do peso, é muito provável que o açúcar esteja causando danos à sua saúde.

O Que o Excesso de Açúcar Faz Com o Seu Fígado

Os pesquisadores sabem desde a década de 1960 que o corpo metaboliza tipos diferentes de carboidratos, como a glicose e a frutose, de maneiras diferentes, gerando respostas hormonais e fisiológicas muito diferentes que podem absolutamente influenciar o acúmulo e metabolismo da gordura.

Ao contrário da glicose, que pode ser usada por praticamente qualquer célula do seu corpo, a frutose só pode ser metabolizada pelo seu fígado, pois o fígado é o único órgão que possui o transportador específico para a frutose. Já que toda frutose é enviada ao fígado, ela acaba sobrecarregando e danificando seu fígado da mesma maneira que o álcool e outras toxinas fazem, principalmente se você consome quantidades excessivas.

Na verdade, a frutose é praticamente idêntica ao álcool no que se refere ao estrago metabólico que ambos causam. De acordo com Lustig, a frutose é uma "toxina hepática dose-dependente e crônica". E assim como o álcool, a frutose é metabolizada diretamente em gordura — não em energia celular, como ocorre com a glicose.

Suas descobertas foram publicadas no Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics, onde ele explicou as três semelhanças entre a frutose e seu subproduto fermentado, o etanol (álcool):

  1. O metabolismo da frutose pelo seu fígado é similar ao do álcool, já que ambos servem como substratos na conversão de carboidrato alimentar em gordura, o que promove a resistência à insulina, a dislipidemia (níveis anormais de gordura no fluxo sanguíneo) e gordura no fígado.
  2. A frutose passa pela reação de Maillard com proteínas, levando à formação de radicais livres superóxidos que podem resultar em uma inflamação do fígado semelhante à causada por acetaldeído, um metabólito intermediário do etanol.
  3. Ao "estimular a 'via hedônica' do cérebro direta e indiretamente", Lustig ressaltou que, "a frutose gera habituação, e possivelmente dependência, também similar ao etanol".

"Mantemos o álcool longe do alcance das crianças, mas não pensamos duas vezes antes de oferecer a elas um copo de refrigerante ou suco de laranja", Lustig diz no filme. "As crianças estão desenvolvendo doenças do álcool sem o álcool, pois o açúcar é o álcool infantil." Enquanto a obesidade infantil é um problema crescente, também é verdade que crianças magras que consomem uma dieta rica em açúcar podem ter um metabolismo não-saudável, mesmo que não seja óbvio apenas olhando para elas.

Em escala global, o vício maciço em açúcar é responsável não apenas pela obesidade e diabetes, mas também por danos cardíacos e paradas cardíacas, câncer, distúrbios neurodegenerativos como a doença de Alzheimer, hipertensão, derrame cerebral e redução na expectativa de vida.

Grandes Semelhanças Entre o Açúcar e a Indústria do Tabaco

As Orientações Nutricionais dos EUA apenas recomendam limitar as calorias com origem no açúcar adicional para não mais que 10 por cento por dia, ou 12 colheres de chá, para uma dieta de 2.000 calorias. A maioria dos norte-americanos consome bem mais que isso, mas por que as Orientações Nutricionais dos EUA, que têm como objetivo proteger a saúde pública, não recomendam um valor bem mais baixo?

De fato, o Comitê Consultor para Orientações Nutricionais (DGAC, do inglês Dietary Guidelines Advisory Committee) recomendou que os norte-americanos reduzissem sua ingestão de alimentos e bebidas adocicados artificialmente.

Entretanto, isso deu iniciou à uma onda de atividades por parte de grupos da indústria do açúcar que, usando táticas da indústria do tabaco, tentaram inclinar o debate nutricional a seu favor. É de conhecimento comum que os principais líderes da indústria alimentícia tentam influenciar a ciência, a política e as recomendações de saúde pública a seu favor.

Diversas táticas foram reveladas, de acordo com o relatório Critical Public Health (Saúde Pública Crítica), incluindo:

  • Influenciar a geração e somatória de evidências, tais como a indústria alimentícia gerando suas próprias evidências ao contratar diretamente o trabalho e usando organizações externas para fazer isso
  • Ressaltar as limitações das pesquisas patrocinadas fora da indústria para criar dúvidas na ciência
  • Exercer influência sobre instituições científicas e associações médicas ao buscar cargos-chave de liderança em tais organizações e usando suas posições para guiar debates e discussões a seu favor
  • Usar contatos acadêmicos para guiar o debate global e defender "a colaboração ampla com o governo e formadores de opinião, e o envolvimento em avaliações governamentais da base de evidências relacionadas à nutrição"

Os contribuintes norte-americanos já pagaram centenas de milhões de dólares em subsídios para a indústria do açúcar, motivo pelo qual o Sugar Policy Modernization Act (Ato de Modernização das Políticas Açucareiras) está tentando eliminar todos os subsídios diretos e indiretos que beneficiam a produção ou exportação de açúcar.

O projeto de lei ainda precisa ser votado, mas muitos membros do Congresso já receberam centenas de milhares de dólares da indústria do açúcar, então não se sabe se o subsídios, que ocorrem na forma de "empréstimos, garantias de preço, restrições em importações e promessas do governo de comprar dos produtores o excesso da produção", jamais desaparecerão por completo.

Como Você Pode Reduzir a Quantidade de Açúcar na Sua Dieta?

Cortar o açúcar não é algo simples como apenas ficar sem a sobremesa ou sem um bolinho de manhã, porque açúcar é adicionado em praticamente todos os alimentos processados à venda no seu mercado. Além dos ingredientes que contém a palavra "açúcar", tais como açúcar de beterraba ou açúcar de tâmara, você vai saber se algum alimento contém açúcares adicionais se encontrar qualquer desses componentes no rótulo:

Melaço

Xarope amanteigado

Açúcar cristalizado

Açúcar evaporado

Caramelo

Xarope de alfarroba

Suco de fruta

Mel

Suco de fruta concentrado

Xarope de arroz integral

Xarope de milho desidratado

Cristais da Flórida

Xarope dourado

Xarope de ácer ou bordo (maple syrup)

Melado

Xarope refinado

Xarope de sorgo

Sucanat (contração de "Sucre de Canne Naturel", açúcar de cana natural)

Xarope bruto (do refino de açúcar, melaço)

Açúcar mascavo

Malte de cevada

Xarope de milho

Dextrina

Dextrose

Malte diastático

Etil maltol

Glicose

Glicose em pó

Lactose

Xarope de malte

Maltose

D-ribose

Xarope de arroz

Galactose

Maltodextrina

Açúcar de confeiteiro

A recomendação é procurar por alimentos com "teor reduzido de açúcar", mas na realidade o melhor jeito de evitar o açúcar é comer comida de verdade. Adotar uma dieta rica em gordura, pobre em carboidratos e moderada em proteínas, como a descrita no excelente guia "Gordura como Combustível", vai te ajudar a reduzir não apenas a sua ingestão de frutose mas também seu total líquido de carboidratos.

O açúcar é metabolizado pelo seu corpo como um carboidrato, elevando seus níveis de insulina e açúcar no sangue. Seu total líquido de carboidratos é calculado subtraindo o número de gramas de fibras do total de gramas de carboidratos ingeridos. Mantendo o seu total líquido de carboidratos abaixo de 100 gramas por dia, e para uma dieta mais saudável até 50 gramas por dia, você irá reduzir seus desejos por doces.

Consumir gorduras saudáveis como manteiga integral orgânica, abacates e óleo de coco, vai te manter saciado ajudando a evitar os impulsos de comer doce sem parar. Alimentos fermentados são outra ótima adição nutricional, já que o sabor acre pode extinguir a ansiedade por açúcar.

Nos alimentos processados que você compra, vasculhe minuciosamente o rótulo e encontre os ingredientes que representam açúcares para avaliar a quantidade total. Lembre-se que quanto menos açúcar você consumir, menos falta dele você vai sentir. Evite substituir o açúcar por adoçantes artificiais como o aspartame, que são tóxicos por si só.

Ocasionalmente, você pode experimentar a stevia, um adoçante à base de ervas que uso em minhas receitas, como uma alternativa ao açúcar. Finalmente, se você tem encontrado dificuldade para superar uma dependência emocional do açúcar, as Técnicas de Liberdade Emocional (EFT) oferecem outra ótima opção, uma que já se demonstrou capaz de reduzir de maneira significativa os desejos do apetite e aumentar a habilidade das pessoas de manter a contenção — mesmo após seis meses.

Se necessário, comece lentamente, removendo alguns dos agressores mais ricos em açúcar da sua dieta, e depois prossiga gradualmente com a redução a partir daí. E lembre-se, quanto mais você cortar os açúcares adicionais, mais a sua saúde se beneficia.