A Guerra 5G – Tecnologia contra a Humanidade

5G

Resumo da matéria -

  • A tecnologia 5G se baseia principalmente na largura de banda da onda milimétrica, conhecida por causar sensações de queimação muito dolorosas. Ela também foi relacionada a problemas oculares e cardíacos, enfraquecimento do sistema imunológico, danos genéticos e problemas de fertilidade
  • A Comissão Federal de Comunicações dos EUA (FCC) admite que não foram feitos estudos a respeito da segurança da tecnologia 5G, nem pela agência e nem pela indústria de telecomunicações, e tais estudos não estão dentro dos planos
  • A FCC foi dominada pela indústria de telecomunicações, que, por sua vez, aperfeiçoou as táticas de desinformação utilizadas pela indústria do tabaco
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

As exposições aos campos eletromagnéticos (CEM) e à radiação de radiofrequência (RF) representam um risco cada vez maior para a saúde no mundo moderno. A página de internet Cellular Phone Task Force apresenta uma lista longa de governos e organizações que, desde 1993, emitiram advertências ou até mesmo proibiram tecnologias sem fio de vários tipos, sob diversas circunstâncias.

Em um artigo da página de internet Environmental Health Trust, Ronald Powell, PhD, um cientista aposentado de física aplicada de Harvard, diz que “não existem MANEIRAS SEGURAS de implementar o 5G nas nossas comunidades.

Pelo contrário, só existem ‘maneiras ruins’ e ‘maneiras piores ainda’”, e ao invés de discutir sobre quem deve controlar a implementação da tecnologia, deveríamos nos concentrar em impedir que tal implementação de fato aconteça.

Os problemas à saúde relacionados à tecnologia 5G só aumentam

(Vídeo disponível apenas em Inglês)

Em uma matéria da revista Fortune, o analista da Wall Street, Sunil Rajgopal, anunciou recentemente que o aumento dos problemas à saúde causados pelo 5G pode atrasar a implementação da tecnologia. Inclusive, alguns países já tomaram algumas medidas para atrasar essa implementação, por causa dos riscos à saúde que pode causar, diz Rajgopal.

No entanto, a implementação do 5G pode realmente ser impedida? Recentemente, os testes do 5G foram impedidos em Bruxelas, capital da Bélgica, e o governo da Suíça está atrasando a instalação da tecnologia no país para desenvolver um sistema de monitoramento da radiação.

A cidade de Syracuse, no estado de Nova York, também está tentando estabelecer algumas medidas de segurança e “negociou o direito de realizar inspeções de segurança nas antenas da rede 5G”, para acalmar as preocupações da população.

Até quais níveis de CEM uma pessoa consegue suportar?

As exposições ao CEM em frequências que causam impactos biológicos, como aquelas utilizadas em celulares e Wi-Fi, aumentaram em cerca de 1 quintilhão de vezes nos últimos 100 anos. Infelizmente, a exposição ao CEM é tão comum hoje em dia, que é praticamente impossível realizar estudos controlados, já que nenhum grupo de pessoas está realmente livre de radiações.

Essa falta de grupos de controle torna muito difícil de determinar quais são os efeitos reais da exposição ao CEM. Dessa forma, um estudo controlado sobre a exposição foi realizado, e revelou que ela não é nem um pouco inofensiva como as pessoas pensam.

No início do século XX, existiam duas populações nos EUA: a rural, e a urbana. As áreas urbanas eram largamente eletrificadas, Ao passo que as áreas rurais só foram eletrificadas em meados dos anos 50.

O Dr. Sam Milham, um epidemiologista, analisou minuciosamente as estatísticas de mortalidade dessas duas populações com o passar dos anos, e descobriu que existia uma grande diferença de mortalidade por ataques cardíacos, câncer e diabetes entre os dois grupos. Então, com a eletrificação das áreas rurais, as duas curvas se uniram.

Hoje em dia, nós não só vivemos e trabalhamos em ambientes eletrificados, mas estamos cercados de micro-ondas de tecnologias sem fio. Em breve, o 5G pode se unir à essas micro-ondas, tornando as exposições muitos mais complexas e, possivelmente, mais nocivas.

Os problemas de saúde relacionados à exposição ao 5G

O problema do 5G é a adição das ondas milimétricas (MMW). Essa banda, que vai de 30 giga-hertz (GHz) até 300 GHz, é conhecida por ser capaz de penetrar em até 2 milímetros no tecido epitelial humano, causando sensações de queimação.

É exatamente por isso que as MMW foram escolhidas pelo Departamento de Defesa dos EUA para serem usadas em armas para controlar multidões (Sistema de Negação Ativa). As MMW também são utilizadas nos aparelhos de escâner corporal dos aeroportos.

Pesquisas mostram que os dutos de suor da pele humana funcionam como receptores ou antenas para a radiação 5G, absorvendo a radiação para dentro do corpo, e causando um aumento na temperatura. Isso explica, em parte, as sensações de queimação.

As MMW também estão ligadas a:

  • Problemas oculares, como a opacidade da córnea em ratos, que está relacionada ao desenvolvimento de cataratas, e danos oculares em coelhos;
  • Variabilidade da frequência cardíaca, um sinal de estresse, em ratos e mudanças na frequência cardíaca (arritmias) em sapos;
  • Dores
  • Enfraquecimento do sistema imunológico
  • Redução do crescimento e aumento da resistência a antibióticos das bactérias.

Como os CEMs danificam seu corpo?

Como foi explicado em 2017 na minha entrevista com Martin Pall, PhD, professor emérito de bioquímica e ciências médicas básicas da Universidade do Estado de Washington, o perigo principal dos CEMs é que eles causam um excesso de estresse oxidativo, resultando em disfunções mitocondriais.

De acordo com Pall, os canais de cálcio dependentes de voltagem (CaV) são 7,2 milhões de vezes mais sensíveis à radiação das micro-ondas do que as partículas eletrizadas dentro e fora de nossas células, o que significa que os padrões de segurança dessa exposição estão errados em uma margem de 7,2 milhões.

A radiação das micro-ondas de baixa frequência abre seus CaVs, permitindo uma entrada anormal de íons de cálcio nas células, o que ativa o óxido nítrico (NO) e o superóxido, os quais reagem quase que instantaneamente e formam o peroxinitrito. Essa substância desenvolve radicais livres de carbonato, que são uma das espécies reativas de nitrogênio que mais causam danos, e são consideradas fontes de muitas doenças crônicas.

Seu corpo é capaz de reparar esses danos através de uma família de 17 enzimas diferentes chamadas de poli(ADP-ribose) polimerases (PARP). No entanto, mesmo que as PARP funcionem bem, elas necessitam de NAD+ como combustível, e quando o NAD+ acaba, elas param de reparar seu DNA.

Os CEMs causam riscos à saúde ainda piores que o câncer

A tensão eletrostática do corpo parece ser muito importante para a saúde. A produção de eletricidade pelo seu corpo permite que as células se comuniquem e realizem as funções biológicas básicas necessárias para a sua sobrevivência. No entanto, seu corpo foi projetado para funcionar em níveis bem específicos de frequências.

Parece óbvio que estar cercado por CEMs artificiais que são 1 quintilhão de vezes maiores que o CEM natural da Terra pode interferir na capacidade do seu DNA de receber e transmitir sinais biológicos.

Enquanto a controvérsia existente sobre os danos dos CEMs está concentrada em discutir sua capacidade de causar câncer, especialmente tumores cerebrais, existem problemas maiores. Já que seus danos estão fortemente ligados à ativação dos seus CaVs, é lógico que as áreas onde os CaVs estão mais presentes estão mais vulneráveis a danos.

Dessa forma, as maiores densidades de CaVs estão no sistema nervoso, no cérebro, no marca-passo cardíaco e nos testículos. Como resultado, é provável que os CEMs contribuam para o desenvolvimento de transtornos neurológicos e neuro-psiquiátricos e problemas cardíacos e reprodutivos.

O desenvolvimento de câncer no cérebro também é muito provável

Apesar dos riscos de doenças cardíacas, demência e infertilidade ofuscarem os riscos de câncer no cérebro, a possibilidade de câncer existe, e pode ser uma preocupação muito maior para crianças que estão crescendo cercadas por tecnologias sem fio.

O fato é que nós só saberemos se o uso de celulares durante a gravidez e durante a juventude aumenta os riscos de câncer daqui a uma ou duas décadas, quando as crianças de hoje em dia crescerem. Os pesquisadores sugerem cada vez mais que a radiação dos celulares influencia com certeza os riscos de câncer, e existem vários relatos convincentes difíceis de ignorar.

A FCC foi dominada pela indústria de telecomunicações, e não é confiável

Devra Davis, PhD, um pesquisador muito respeitado sobre os perigos da radiação dos celulares, destaca outro problema muito importante: o fato de que a FCC foi dominada pela indústria de telecomunicações, que, por sua vez, aperfeiçoou as táticas de desinformação utilizadas pela indústria do tabaco.

A FCC foi dominada pela indústria de telecomunicações, que, por sua vez, aperfeiçoou as táticas de desinformação utilizadas pela indústria do tabaco.

O 5G também ameaça as previsões do tempo

Além dos possíveis problemas à saúde, a rede global de 5G também pode ameaçar nossas capacidades de prever as condições climáticas, o que, além de ameaçar a vida dos cidadãos, pode comprometer a marinha.

De acordo com uma matéria recente da revista Nature, a cobertura global de 5G vai impedir que os satélites detectem mudanças nos vapores de água, e são essas mudanças que permitem que os meteorologistas prevejam mudanças climáticas e tempestades.

Aprenda sobre os riscos à saúde causados pelo 5G e proteja sua família

Atualmente, estou escrevendo um livro sobre os perigos do CEM, que vai ser uma fonte de pesquisa compreensiva sobre as tecnologias atuais. Enquanto isso, para aprender mais sobre o 5G e alertar as outras pessoas, você pode baixar um material informativo de duas páginas sobre o 5G da página Environmental Health Trust. Na página, também é possível visualizar uma lista longa de artigos científicos que sustentam nossas preocupações.

Para reduzir sua exposição aos CEMs, leia as seguintes sugestões e tente seguir o máximo possível.

Durante a noite

Use filtros contra interferência eletromagnética para eliminar as tensões transientes da sua instalação elétrica, e use medidores para conferir se elas se encontram em níveis seguros.

Use um despertador que funcione com pilhas ou baterias, idealmente, um que não emita nenhuma luz. Eu uso um rádio-relógio com alarmes de voz para pessoas com dificuldades visuais.

Considere mudar o berço do bebê para o seu quarto ao invés de usar uma babá eletrônica sem fio. Como alternativa, use um modelo de babá eletrônica com fio para monitorar o bebê.

Se você precisa usar Wi-Fi, desligue quando não estiver usando, especialmente durante a noite quando você vai estar dormindo. Idealmente, tente cabear sua casa com fios para ter conexões físicas com a Internet e poder eliminar o Wi-Fi completamente. É importante entender que se você tiver um roteador Wi-Fi, você tem efetivamente uma torre de celular dentro da sua casa. Por isso, o ideal é eliminar o Wi-Fi e usar conexões Ethernet.

Se você precisar mesmo de um roteador, você pode guardá-lo em um saco blindado antiestático quando não estiver sendo utilizado. Você pode encontrar embalagens blindadas na internet, ou fazer a sua você mesmo utilizando tecidos antirradiação eletromagnética. E se você tiver um notebook sem portas Ethernet, você pode usar um adaptador USB Ethernet, que vai permitir que você se conecte à internet utilizando cabos.

Para se proteger melhor, você pode considerar pintar as paredes do seu quarto com uma tinta isolante especial, capaz de bloquear a RF de fontes externas, como as torres de celular, medidores de energia inteligentes e torres de rádio e televisão. Para proteger suas janelas, você pode cobri-las com telas de metal ou filmes. Para proteger sua cama, você pode utilizar cortinas isolantes.

Durante o dia

Para reduzir a exposição aos CEMs durante o dia, considere usar os filtros contra interferência eletromagnética para reduzir a poluição e a interferência eletromagnética. Você também pode levar esses filtros para o trabalho, ou durante suas viagens. Talvez essa seja a melhor solução para reduzir os danos causados pela exposição aos CEMs, já que parece que a maior parte desses danos é causada pelas frequências removidas pelos filtros.

Conecte seu computador à Internet usando uma conexão física com cabos Ethernet e certifique-se de também deixar seu computador em modo avião, se possível. Também evite acessórios sem fio como teclado, mouse, trackball, acessórios para jogos, impressoras e telefones residenciais sem fio. Opte pelas opções com fio.

Evite levar o celular com você junto ao seu corpo se ele não estiver em "modo avião", e nunca durma com o celular na sua cama, a menos que ele esteja em modo avião. Evite carregar seu celular junto ao corpo, a não ser que esteja no modo avião. Eu levo o meu em uma bolsa de Faraday. Esse produto custa cerca de 100 reais. Eu o testei e ele se provou muito eficiente no bloqueio da radiação.

Ao usar seu celular, use o viva-voz e mantenha o aparelho a pelo menos 3 cm de distância. Além disso, tente diminuir o tempo de uso do celular. Eu, normalmente, uso meu celular durante menos de 30 minutos por mês, e geralmente é durante viagens. É melhor utilizar softwares de VoIP, aplicativos que permitem fazer ligações pelo computador usando a internet, ou melhor ainda, utilize telefones fixos.

Medidas gerais para a sua casa

Se você ainda usa um forno de micro-ondas, considere substitui-lo por um forno de convecção, que aquece suas refeições tão rápido quanto, e de maneira mais segura.

Evite usar eletrodomésticos e termostatos "inteligentes" que dependem de sinais sem fio. Isso incluiria todas as novas TVs "inteligentes". Esses dispositivos também são chamados de inteligentes porque emitem sinais de Wi-Fi mas, ao contrário do seu computador, nesses casos a emissão de sinais via Wi-Fi não podem ser desligada. Ao invés disso, considere usar um monitor de computador grande como sua TV, já que eles não emitem sinais de Wi-Fi.

Substitua as lâmpadas CFL por lâmpadas incandescentes. O ideal seria remover todas as lâmpadas fluorescentes da sua casa. Elas não apenas emitem uma luz não saudável, mas também, e mais importante, elas de fato transferem corrente elétrica para o seu corpo se você estiver perto das lâmpadas.

Os interruptores dimmer, capazes de controlar a intensidade da luz, também são fontes de eletricidade suja. Considere trocá-los por interruptores liga/desliga normais.

Recuse medidores inteligentes sempre que possível, ou adicione blindagem aos que já existem, algumas delas são comprovadas em reduzir a radiação de 98 a 99 por cento.

+ Recursos e Referências