O enxofre faz bem para o corpo

enxofre mineral

Resumo da matéria -

  • O metilsulfonilmetano (MSM), também conhecido por enxofre orgânico, metaboliza o Dimetilsulfóxido (DMSO), um poderoso antioxidante com propriedades anti-inflamatórias e analgésicas
  • Dos 20 aminoácidos presentes nos alimentos, apenas 2 contêm enxofre, mas nenhum é armazenado no corpo. Por isso, para manter o organismo equilibrado, é preciso ingerir alimentos que contenham enxofre
  • As melhores fontes de enxofre são ovos orgânicos de aves criadas soltas, carnes de animais terminados a pasto, nozes, salmão do Alaska e vegetais verde-escuro como couve, espinafre e brócolis, além de cebola e alho

Por Dr. Mercola

O enxofre é um tipo de mineral esquecido, do qual não se ouve muito falar, mas ele é muito importante para o funcionamento do corpo. Os cientistas agora estão dizendo que você provavelmente não está obtendo enxofre suficiente da sua alimentação, apesar desse mineral ser encontrado em tantos alimentos.

Entre as melhores fontes estão as proteínas de ovos orgânicos provenientes de aves criadas livre, carnes de animais terminados a pasto, nozes, salmão do Alaska e também vegetais verde-escuro como couve, espinafre e brócolis, além de cebola e alho.

Por que o enxofre é importante? Como Stephanie Seneff, pesquisadora científica do MIT escreveu ao Weston A. Price Foundation:

"O enxofre é conhecido como um mineral curativo, e a deficiência de enxofre costuma levar a dores e inflamações associados a vários transtornos musculares e esqueléticos.

O enxofre desempenha um papel importante em muitos processos biológicos, incluindo o metabolismo. Ele está presente na insulina, o hormônio que promove o uso do açúcar derivado dos carboidratos para abastecimento dos músculos e das células adiposas."

Enxofre: O terceiro mineral mais abundante no seu corpo

Seis elementos químicos — oxigênio, carbono, hidrogênio, nitrogênio, cálcio e fósforo — compõem 99% da massa corporal. Os outros cinco — potássio, enxofre, sódio, cloro e magnésio — completam o 1% restante em graduações variadas.

Mas embora o enxofre pareça relativamente insignificante nessa lista, a verdade é que ele é o terceiro mineral mais abundante no corpo. Uma de suas principais funções é o de antioxidante.

O enxofre está presente em todos os tecidos vivos. Ele é componente de dois importantes aminoácidos: a metionina (encontrada principalmente em claras de ovos e peixes), é um aminoácido essencial, isto é, que seu corpo não sintetiza e precisa ser obtido através de fontes externas, e a cisteína, que precisa do enxofre constantemente e é sintetizada pelo corpo.

Sua pele, músculos e ossos contêm cerca de metade do enxofre do seu corpo. Suas unhas e cabelos, feitos de uma proteína rígida chamada queratina, contêm uma boa parte de enxofre, enquanto suas cartilagens e tecidos conjuntivos têm uma forma mais flexível, que muda e se quebra com o tempo, levando aos sinais reconhecidos do envelhecimento.

Alguns desses indicadores incluem rugas, dores musculares e nas articulações, que podem ser uma indicação da deficiência de enxofre.

O que o enxofre tem de tão especial?

O enxofre desempenha um papel importante na desintoxicação, pois faz parte de um dos antioxidantes mais importantes que o seu corpo produz: glutationa. Sem o enxofre, a glutationa é considerada ineficaz. Isso é muito importante, pois a glutationa é a forma que seu corpo tem de se desintoxicar.

Um estudo explicou essa importância num relatório sobre como o enxofre e alguns de seus compostos podem proteger contra a exposição à luz ultravioleta (UV), a raios-X e radiação, podendo ser usado para fins de desintoxicação.

Os cientistas concordam que a deficiência de enxofre pode ser causa da doença de Alzheimer, que cresce exponencialmente a cada ano. Um artigo discutiu a relação entre a demência e outros problemas prevalentes com a falta de enxofre no corpo:

"Curiosamente, o enxofre é um poderoso antagonista do alumínio, o que deve satisfazer àqueles que defendem que o alumínio é um fator importante para a doença de Alzheimer.

Da mesma forma, a maioria dos pacientes mais jovens e mais velhos que sofriam de 'confusão mental', problemas de concentração e pouca memória, apresentavam níveis de enxofre abaixo do normal, incluindo muitas crianças e adultos diagnosticados com ADD/TDAH..."

Outro artigo destacava os motivos pelos quais a deficiência de enxofre e sulfato no corpo pode explicar a prevalência de doenças cardíacas. A cientista pesquisadora Stephanie Sneff, Ph.D., do MIT, chamou o sulfato do colesterol de "molécula misteriosa" que flutua no sangue e causa instabilidade capaz de provocar doenças cardíacas.

Pesquisas sustentam os tratamento tradicionais com remédios tópicos que utilizam enxofre e MSM como tratamento eficaz contra a acne e outras condições de pele, como espinhas, rosácea, sarna, dermatite seborreica e parasitas.

A ciência por trás dos alimentos curativos e que contêm enxofre

Vários compostos benéficos que contêm enxofre se expressam por meio de efeitos curativos no corpo. Os glucosinolatos são um deles, encontrados principalmente em vegetais crucíferos como repolho, brócolis e vegetais folhosos como couve, couve-galega e rúcula.

Quando você corta ou morde vegetais crucíferos, é possível identificar um odor pungente, causado pela liberação dos glucosinolatos repletos de enxofre.

A George Mateljan Foundation, uma organização sem fins lucrativos que estuda informações científicas sobre alimentos saudáveis e nutrientes específicos, explicou como esse fenômeno tem duplos benefícios, tanto ao paladar quanto ao efeito curativo:

"O processo de corte pode, na verdade, aumentar certos benefícios, já que algumas das moléculas recém-formadas (e transformadas) que contêm enxofre demonstraram ter propriedades preventivas do câncer.

Isso inclui os glucosinolatos que contêm enxofre e que são formados quando uma enzima chamada mirosinase é ativada."

Curiosamente, os cientistas sugerem que, se você planeja cozinhar vegetais crucíferos, é melhor cortá-los primeiro e deixá-los descansar por alguns minutos a fim de liberar o máximo de benefícios. Cozinhá-los logo após o corte impede que as enzimas de mirosinase se formem, perdendo seus benefícios.

A importância do MSM e DMSO

O MSM (metilsulfonilmetano) é um composto do enxofre que ocorre naturalmente no corpo. Ele é conhecido por auxiliar as articulações, mas também é útil em outras áreas do corpo. A composição do MSM é de 34% de enxofre por peso, mas também afeta o metabolismo do enxofre.

Talvez a melhor forma de identificar que você não tem MSM suficiente no organismo seja através de sintomas que incluem fadiga, prevalência de estresse elevado, tanto física quanto psicologicamente, depressão e até doenças degenerativas, como mal de Parkinson, arteriosclerose, osteoartrite e câncer.

O MSM metaboliza o dimetilsulfóxido, um controverso composto anti-inflamatório e analgésico conhecido como DMSO, que, infelizmente, é aprovado para uso em medicina veterinária, mas não em humanos. Um artigo explica que o DMSO:

"...tem um potencial promissor de gerir uma ampla gama de problemas de saúde". O DMSO é um agente farmacológico aprovado em mais de 125 países. A segurança relacionada ao seu uso, bem como seus efeitos terapêuticos, são comprovados por quase 50 anos de pesquisas e mais de 10.000 artigos científicos".

Um artigo discute a pesquisa do Dr. Stanley Jacob sobre o DMSO e seus benefícios em várias aplicações, incluindo o tratamento para traumas na cabeça. De acordo com Jacob, sua capacidade como diurético e para eliminar radicais livre é uma parte importante para melhorar o fornecimento de sangue ao cérebro, o que reduz o inchaço:

"Isso melhora a oxigenação do sangue para os tecidos cerebrais. As células cerebrais danificadas nem sempre estão mortas. Quando elas recebem mais sangue e oxigênio, e os radicais livres são combatidos, elas podem se recuperar, diminuindo muito rapidamente o inchaço cerebral".

A deficiência de enxofre e a obesidade

Não é segredo que a obesidade tomou uma porcentagem alarmante da população norte-americana, mas também é uma epidemia mundial. Um motivo para isso é que muitos países têm adotado uma dieta ocidental. Mas o que isso tem a ver com uma deficiência de enxofre? Novamente, como Seneff escreveu para a Weston A. Prince Foundation:

"Uma dieta rica em grãos como pão e cereais provavelmente será pobre em enxofre. Alimentos integrais como milho e soja são desmembrados em componentes com nomes químicos e remontados em alimentos altamente processados. O enxofre se perde nesse processo, assim como a consciência de sua importância".

O problema com esse tipo de alimentação é que ela é rica em grãos como pão e cereais, mas muito pobre em enxofre. O desenvolvimento dos alimentos de preparo rápido e conveniente faz parte de uma brilhante estratégia de marketing.

Porém, na pressa de simplesmente conseguir o "combustível para continuar funcionando", nos esquecemos de coisas importantes, como a nutrição adequada. Além disso, fabricantes que "enriquecem" alimentos, como cereais, com uma dúzia de vitaminas e minerais levam os consumidores a acreditar que estão oferecendo aos filhos um café da manhã "completo", que é conveniente além de bom para a saúde!

A deficiência de minerais pode causar sintomas "misteriosos"

Stephanie Seneff tem algumas teorias sobre o assunto:

"Minha extensa pesquisa bibliográfica me levou a duas moléculas misteriosas encontradas na corrente sanguínea e em muitas outras partes do corpo: o sulfato de vitamina D3 e o sulfato de colesterol. Após a exposição ao sol, a pele sintetiza o sulfato de vitamina D3, uma forma de vitamina D que, ao contrário da vitamina D3 não sulfatada, é solúvel em água.

Como consequência, ele pode viajar livremente na corrente sanguínea em vez de ser encapsulado dentro do LDL (o chamado colesterol "ruim") para o transporte. A forma da vitamina D presente no leite humano e no leite de vaca é o sulfato de vitamina D3 (a pasteurização o destrói no leite de vaca)."

Alguns outros minerais que você pode não estar consumindo o suficiente são magnésio e sulfato (problema que uma imersão em um banho de sais Epsom pode ajudar a resolver). A falta desses minerais pode aumentar a pressão, causar problemas cardíacos e sintomas como cãibras, contrações ou espasmos musculares.

Consumir mais vegetais, nozes e frutos do mar é uma boa forma de evitar a deficiência desses minerais, que podem evitar o desenvolvimento de várias doenças e problemas de saúde.

Como aumentar naturalmente sua ingestão de enxofre

Uma das formas mais básicas de ingerir enxofre é tomando água. Na verdade, 10% da nossa ingestão diária de enxofre é feita dessa forma. A água da torneira pode conter mais enxofre do que a filtrada, e estudos indicam que a incidência de doenças cardíacas é maior em pessoas que tomam água filtrada (isso nos Estados Unidos, onde a água da torneira é própria para a ingestão humana).

Uma outra coisa que você pode fazer para aumentar sua ingestão é consumir alimentos ricos em enxofre. Alimentos como o alho (ao contrário do suplemento de alho), é um exemplo; uma boa quantidade seria três dentes por dia — crus e esmagados ou picados antes de comer.

É claro que algumas pessoas não gostam de alho. Se este for o seu caso, gazpacho e pesto são duas formas de comer alho sem perceber, já que os outros ingredientes encobrem o odor e o gosto dele. Outra forma deliciosa de fazer isso é polvilhar alho com azeite de oliva para cozinhar batatas doces, cenouras ou cebolas.

Vegetais do tipo allium contêm compostos de enxofre capazes de prevenir doenças

Estudos clínicos identificaram compostos orgânicos contendo enxofre (OSCs) de vegetais allium (como alho e cebola) como potencialmente benéficos na prevenção de muitas doenças, incluindo "infecções, afecções cardiovasculares e metabólicas, cânceres e indisposições relacionadas".

Um estudo observou que o alho tem sido utilizado para tratar infecções há milhares de anos em vários locais do mundo, como Egito, China, Índia e Grécia. Seus fatores antibacterianos, antibióticos, antissépticos, antifúngicos e antivirais se devem, ao menos em partes, ao enxofre. Como foi dito no Saudi Pharmaceutical Journal:

"Historicamente, o alho tem sido usado para tratar dores de ouvido, lepra, surdez, diarreia grave, constipação e infecções parasitárias, e para diminuir a febre, combater infecções e aliviar dores de estômago.

A evidência mais convincente do efeito positivo do alho é que o enxofre contido nele pode diminuir o risco de câncer e alterar o comportamento biológico de tumores. Experimentalmente, o alho e o enxofre são reconhecidos por suprimir a incidência de tumores nas mamas, cólon, pele, útero, esôfago e pulmão".