A ingestão de vitamina A na alimentação pode prevenir problemas de pele

benefícios da vitamina A

Resumo da matéria -

  • Pessoas que consomem alimentos ricos em vitamina A apresentam um risco reduzido de carcinoma espinocelular, a segunda forma mais comum de câncer de pele. A célula basal é a mais comum, se formando em qualquer lugar do corpo, e embora a metástase seja rara, 50% das pessoas diagnosticadas vão apresentar um reaparecimento da doença dentro de cinco anos
  • O melanoma é a forma mais mortal de câncer de pele e, para que o tratamento tenha sucesso, é preciso que seja diagnóstico e tratado rapidamente. Os dermatologistas recomendam que o melanoma seja detectado com uma estratégia simples e que se busque atendimento médico imediato
  • Existem duas formas de vitamina A: os carotenoides, que são encontrados em vegetais, a partir do qual seu corpo fabrica a forma biodisponível; e os retinoides, que são uma forma biodisponível de vitamina A encontrada em fontes animais, como carne e laticínios de animais terminados a pasto
  • Dentre os benefícios de se obter um nível ideal de vitamina A a partir de alimentação, destacam-se: suporte para o sistema imunológico, diferenciação celular, visão saudável, ossos fortes e melhora na função neurológica. Embora sua suplementação venha acompanhada de riscos para muitas pessoas, sua alimentação pode conter níveis suficientes a partir de fontes animais, assim como de espinafre, batata-doce, couve e cenoura
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Sua alimentação afeta significativamente a saúde da sua pele. Em se tratando de bem-estar, a beleza é vai além da pele saudável. Como regra geral, uma alimentação repleta de vegetais frescos e de ômega-3 é o caminho ideal para manter uma aparência jovem.

No entanto, assim como na hora de proteger sua saúde no geral, não adianta nada encher sua dieta de alimentos ricos em vitamina A, mas continuar comendo outros que são prejudiciais. Por exemplo, pessoas que se tornam resistentes à insulina e leptina percebem os impactos que isso causa sobre o processo de envelhecimento. Estas condições aumentam as trocas de pele e o risco de desenvolvimento de doença metabólica.

A maneira mais eficaz de se proteger contra a resistência à insulina é reduzindo ou eliminando completamente da alimentação os alimentos processados, ricos em açúcar refinado, frutose processada, gorduras trans e outros ingredientes nocivos.

Já os nutrientes específicos têm o efeito oposto, ajudando a proteger contra os danos causados pela exposição aos agentes externos. Pesquisadores da Universidade de Brown descobriram, num estudo recente, que alimentos ricos em vitamina A tiveram um efeito benéfico específico.

Alimentos ricos em vitamina A podem proteger contra o câncer de pele

Os pesquisadores tinham como objetivo determinar se existe uma relação entre ingerir vitamina A na dieta e a redução do risco de desenvolvimento de carcinoma espinocelular. Eles analisaram dados de dois estudos e descobriram que aqueles com uma alimentação rica em vitamina A apresentaram uma redução de 17% no risco de desenvolver carcinoma espinocelular.

Os cientistas também analisaram os resultados de 48.400 homens e 75.170 mulheres com mais de 26 anos. Os estudos originais examinaram de maneira prospectiva a ingestão de vitamina A e carotenoides utilizando avaliações nutricionais dos estudos da Nurses’ Health e da Health Professionals Follow-up. O ponto final da medida dos pesquisadores foi a incidência de carcinoma espinocelular.

Foram encontrados 3.978 casos de carcinoma espinocelular durante o estudo. Os pesquisadores acreditam que os resultados sugerem que aquelas pessoas que ingerem uma maior quantidade de vitamina A na alimentação têm menor risco de serem diagnosticadas com carcinoma espinocelular. Os dados ratificam as conclusões dos pesquisadores, que escreveram:

“Neste grande estudo prospectivo de mulheres e homens dos EUA, descobrimos que uma maior ingestão de vitamina A, retinol e vários carotenoides individuais, incluindo beta criptoxantina, licopeno, luteína e zeaxanthina, estava associada a um menor risco de desenvolver carcinoma espinocelular.

No geral, os resultados foram consistentes entre homens e mulheres. As associações inversas pareceram ser mais proeminentes entre pessoas com manchas, queimadura ou crianças ou adolescentes com insolação."

Embora os pesquisadores tenham descoberto que uma maior ingestão de vitamina A na alimentação gere um menor risco de desenvolvimento de carcinoma espinocelular, Eunyoung Cho, autor do estudo e professor associado da Universidade de Brown, disse que tomar muito suplemento de vitamina A poderia aumentar o risco de osteoporose e fraturas do quadril. Cho disse:

“Estas descobertas apenas aumentam os motivos de se ter uma alimentação saudável que inclui frutas e vegetais. A vitamina A adquirida de fontes vegetais é segura."

Mais de um tipo de câncer de pele

De acordo com a Academia Americana de Dermatologia, são quatro os principais tipos de câncer de pele. A queratose actínica é uma condição de pele caracterizada pela formação de regiões secas e escamosas. É considerada pré-cancerígena e pode evoluir para um carcinoma espinocelular. Logo, é importante que seja tratada o quanto antes.

O carcinoma basocelular é, de longe, o tipo de câncer de pele mais comum. Ele pode se formar em qualquer lugar do corpo e muitas vezes se parece com manchas claras ou rosas na pele. O diagnóstico e tratamento precoce ajudam a reduzir as chances de ele invadir o tecido ao redor e causar desfiguração significativa.

50% das pessoas diagnosticadas com carcinoma basocelular apresentam uma recorrência dentro de cinco anos. Este tipo de câncer cresce lentamente e a metástase é rara. A recorrência é mais provável em pessoas com histórico de eczema, que usaram camas de bronzeamento, cujo câncer original era maior do que 2 centímetros ou tenha penetrado em diversas camadas na pele.

O carcinoma espinocelular é o segundo tipo mais comum e pode se desenvolver em qualquer lugar do corpo. Sua aparência é de uma mancha vermelha ou escamosa, podendo parecer uma ferida não cicatriza. Este câncer se desenvolve na epiderme, a camada mais externa da pele.

Muitas vezes, ele cresce lentamente, sendo raro que realize metástase antes de ser encontrado. No entanto, é provável que invada o tecido adiposo sob a pele, causando desfiguração ao ser removido.

O melanoma é a forma mais mortal dos cânceres de pele. Este tipo se desenvolve a partir de uma mancha existente ou aparece como um novo ponto na pele.

Os dermatologistas recomendam que você use o ABCDE para identificar um melanoma e que procure um médico imediatamente caso pense ter encontrado um. Qualquer mancha diferente, ou que comece a mudar, coçar ou sangrar, deve ser avaliada por um dermatologista.

  • Assimetria — Metade da área escura é diferente da outra parte. A maioria das manchas são simétricas.
  • Borda — As bordas exteriores da mancha são irregulares ou mal definidas, parecendo sumir na sua pele.
  • Cor — Uma mancha anormal varia de cor de uma área para outra. Você pode perceber variações de tons escuros ou claros, incluindo vermelho ou azul.
  • Diâmetro — A maioria dos melanomas malignos são maiores do que a ponta de um lápis.
  • Evolução — Melanomas são diferentes do resto das suas manchas e você pode notar mudanças na sua forma, tamanho ou cor ao longo do tempo.

Diferentes tipos de vitamina A

A vitamina A se refere a vários nutrientes diferentes, mas similares, que se enquadram em uma das duas categorias principais. Os retinoides são a forma biodisponível de vitamina A e são encontrados em alimentos de origem animal, enquanto os carotenoides são pré-vitamina A encontrados em alimentos de origem vegetal.

Após seu corpo adquirir os carotenoides de fontes vegetais, ele deve convertê-los em retinol biodisponível. Isso não é problema se você for saudável. No entanto, existem vários fatores que podem inibir esta conversão, como problemas digestivos, uso de álcool e certos medicamentos e doenças que interferem na absorção de gordura, como a fibrose cística e doença hepática.

A capacidade do seu corpo para converter carotenoides em retinol biodisponível depende também da sua dieta, pois tanto a absorção quanto a conversão dependem de gordura. Em um estudo, os pesquisadores descobriram que uma dieta rica em gordura melhorou a atividade enzimática e a biodisponibilidade da vitamina A em uma cobaia animal.

Os carotenoides são as provitaminas solúveis em água encontradas em alimentos de origem vegetal, incluindo o betacaroteno. Xantofilas, Luteína e zeaxantina são outros exemplos de carotenoides. No entanto, os retinoides são a forma biologicamente ativa e são encontrados apenas em alimentos de origem animal. Dentre os retinoides encontra-se o retinol, ácido retinoico e ésteres de retinilo.

A vitamina A ajuda mais do que a sua pele

O estudo apresentado demonstrou que pessoas que ingerem uma maior quantidade de vitamina A na alimentação apresentaram um menor risco de desenvolvimento de carcinoma espinocelular. No entanto, outros estudos mostraram que a vitamina A pode inibir também outros tipos de câncer.

Em um estudo de uma droga que bloqueia a quebra do ácido retinoico, o resultado foi uma redução do tumor em ratos implantados com células humanas de câncer de próstata. A vitamina A é um antioxidante que ajuda a combater a inflamação e danos causados por espécies que reagem ao oxigênio.

Alguns dos benefícios de manter níveis adequados de vitamina A através da dieta são:

Função imunológica

Diferenciação celular

Retardar o processo de envelhecimento

Visão saudável

Ossos fortes

Função neurológica

Pele saudável

Regulação genética

Cicatrização

Consuma alimentos com vitamina A

O suplemento de vitamina A gera riscos para muitas pessoas, então o melhor é garantir de que você a está ingerindo esse nutriente a partir de alimentos reais, tanto de origem animal quanto vegetal. As melhores fontes de retinoides são:

  • Ovos, orgânicos e caipiras
  • Leite e creme de leite integrais de vacas terminadas a pasto e
  • Manteiga feita com leite orgânico de animais terminados a pasto.

Outros alimentos que contenham quantidades elevadas incluem:

Batata-doce Espinafre
Moranga Mostarda e couve
Cenouras Couve
+ Recursos e Referências