Os olhos podem revelar problemas de saúde?

olhos

Resumo da matéria -

  • Diversas condições médicas como diabetes, pressão alta e desequilíbrio de colesterol, podem ser diagnosticadas através de um exame oftalmológico de rotina. A saúde visual é um indicador importante para esses e vários outros problemas de saúde
  • Você pode melhorar sua saúde ocular com atitudes simples como evitar gorduras trans, cuidar do seu sistema cardiovascular, comer vegetais folhosos, ingerir quantidades suficientes de gorduras saudáveis como o ômega-3, normalizar o açúcar no sangue e parar de fumar
  • Quatro antioxidantes conhecidos por fazer bem aos olhos são a astaxantina, a antocianina presente no cassis, a luteína e a zeaxantina. Eu também recomendo a astaxantina devido aos seus efeitos positivos para os olhos

Por Dr. Mercola

Visto que dezenas de doenças apresentam sintomas que podem ser observadas nos olhos, os oftalmologistas e optometristas frequentemente estão entre os primeiros profissionais a identificar certas condições médicas. Um estudo interno envolvendo 120.000 pacientes realizado pela companhia de seguros VSP Vision Care destaca o valor dos cuidados com a visão. Os dados obtidos sugerem que um exame oftalmológico foi o primeiro indicador de problemas em:

  • 62% dos casos de desequilíbrio do colesterol
  • 39% dos casos de pressão alta
  • 34% dos casos de diabetes

Caso você não saiba ao certo o que seu corpo pode estar tentando lhe dizer com relação a alterações na saúde dos seus olhos, continue lendo esse artigo. Embora seus olhos possam ser, como costuma-se dizer, "a janela para alma", eles também podem revelar problemas de saúde em diversas outras partes do seu corpo.

Alterações nos vasos sanguíneos dos olhos podem prever perda futura de memória

Um estudo publicado na revista médica Neurology, relaciona mais uma vez a saúde ocular a um risco potencial de perda de memória no futuro. Conforme relatado pela CNN Health, o estudo sugere que pequenas alterações nos vasos sanguíneos nos olhos aos 60 anos de idade podem prever a probabilidade de ocorrência de declínio cognitivo durante as próximas décadas de vida.

Como os pequenos vasos sanguíneos do cérebro são difíceis de serem vistos através de técnicas de imagem cerebral padrão como a ressonância magnética (RNM), os pesquisadores levantaram a hipótese de estudar os vasos sanguíneos nos olhos, que poderiam, em tese, fornecer pistas sobre o que está acontecendo no cérebro.

Estudos anteriores já haviam confirmado que doenças do sistema vascular podem aumentar o risco de comprometimento cognitivo à medida que se envelhece. O presente estudo acompanhou 12.317 homens e mulheres com idades entre 50 e 73 anos durante um período de 20 anos para testar a hipótese de que os sinais vasculares da retina estão fortemente associados ao declínio cognitivo.

No início do estudo, os participantes foram avaliados por suas habilidades de memória e raciocínio, e duas rodadas adicionais de testes foram feitas ao longo dos próximos 20 anos. Três anos após o começo do estudo, os pesquisadores usaram uma câmera especial para tirar fotos da retina de cada indivíduo, fornecendo, assim, um instantâneo do que estaria acontecendo na microvasculatura ocular. A partir dessa medida, os cientistas puderam identificar sinais da retina indicativos de retinopatia, também conhecidos como danos aos vasos sanguíneos da retina. Esses testes revelaram que:

  • 95% dos participantes não mostraram sinais de danos aos vasos sanguíneos da retina
  • 3% apresentaram retinopatia leve
  • 2% tinham retinopatia de moderada a grave

Após analisar os dados, os pesquisadores observaram que os participantes com retinopatia de moderada a grave tinham maior probabilidade de obter pontuações significativamente mais baixas nos testes de memória e raciocínio do que aqueles com olhos saudáveis. (Embora a relação tenha sido mais forte para indivíduos com diabetes, a ligação foi igualmente significativa para aqueles que não tinham a doença).

Esses participantes, na verdade, viram suas pontuações médias nos testes caírem em 1,22 unidades de desvio padrão ao longo dos 20 anos do estudo. Por outro lado, os participantes com olhos saudáveis apresentaram declínios de 0,91 unidades de desvio padrão.

Sobre os resultados, os autores do estudo afirmaram: “A retinopatia foi associada a taxas aceleradas de declínio cognitivo em um período de 20 anos. Essas descobertas apoiam a exploração de medidas mais sensatas para a saúde ocular... que podem fornecer índices alternativo de lesões microvasculares relevantes para o declínio cognitivo em adultos mais velhos."

Se seus olhos não são saudáveis, é provável que seu cérebro também não seja

A Dra. Rachel Bishop, chefe do serviço de consulta do National Eye Institute, que não participou do estudo, confirmou os resultados da pesquisa, dizendo:

“Se os vasos sanguíneos da retina não são saudáveis, há motivos para acreditar que os vasos sanguíneos do cérebro também não são. O suprimento de vasos sanguíneos é essencial para todas as funções — a função de todos os órgãos — e, se os vasos sanguíneos não puderem fazer seu trabalho, não há como o cérebro estar funcionando tão bem quanto um cérebro com um bom suprimento [de sangue]."

Quando perguntada sobre sua opinião relacionada à triagem do olho e da retina para possíveis condições negativas no cérebro, como perda de memória, Bishop disse: “Compartilho uma esperança comum de que possamos detectar essas condições com antecedência suficiente e fazer intervenções rapidamente para mudar o curso de um evento [cerebral] negativo". Como seu cérebro está cuidadosamente guardado dentro do crânio, os olhos são, na verdade, a única parte do cérebro que pode ser vista diretamente. Isso acontece quando o oftalmologista usa um oftalmoscópio e lança uma luz brilhante no olho como parte de um exame oftalmológico.

O que mais seus olhos podem dizer sobre a sua saúde?

Além de avisar sobre um possível risco futuro de declínio da memória, a saúde ocular tem sido associada a uma lista crescente de condições e doenças que podem dizer muito sobre a saúde geral.

Câncer — Embora você ou seu médico provavelmente detectem sinais de malignidade antes de ela se apresentar em um exame oftalmológico, os cânceres de mama, bem como leucemia e linfoma, geralmente sinalizam sua presença nos olhos.

Bazan explica que um dos tipos de câncer mais comumente detectados envolve as células basais da pele sensível ao redor do olho. Outro câncer devastador é o melanoma ocular — câncer nas células dos olhos. Embora seja incomum, "definitivamente ocorre, e é devastador", diz Bazan.

Diabetes Alterações na visão, como vista embaçada, podem ser um sinal de diabetes. "O diabetes pode ser visto nos olhos", disse Bazan. "[Algumas pessoas] podem experimentar períodos em que o açúcar no sangue está fora de controle, o que causa alterações nas lentes dentro do olho, afetando a visão". Embora alterações semelhantes da visão possam ser atribuídas ao envelhecimento, é importante descartar o diabetes como uma potencial causa.

Pressão sanguínea elevada — A pressão alta também pode ser facilmente vista nos olhos, observa Bazan. Vasos sanguíneos danificados podem causar hemorragias e vazamentos, os quais são visíveis durante os exames oftalmológicos.

Desequilíbrio do colesterol — "O colesterol alto é uma das condições mais fáceis de descobrir em um exame, pois aparece na frente do olho”, afirma Bazan. É comum doenças cardíacas causadas por acúmulos de placa levantarem preocupações durante um exame oftalmológico.

Lúpus — A uveíte, ou olhos vermelhos e inchados, ocorre como resultado de lúpus e outras doenças autoimunes. Outros efeitos que o lúpus pode ter nos olhos incluem: alterações dos vasos sanguíneos na retina, alterações na pele ao redor das pálpebras, danos aos nervos nos músculos que controlam o movimento ocular e ressecamento dos olhos. "Se você tem uma condição em que há inflamação sistêmica, ela quase sempre se manifesta no olho na forma de uveíte", disse Bazan.

Esclerose múltipla (EM) — Ao examinar os olhos de um portador de esclerose múltipla, o médico pode notar uma alteração na cor e no aspecto do nervo óptico. De acordo com a Sociedade Nacional de Esclerose Múltipla, os problemas de visão geralmente são o primeiro sintoma da doença:

“Os sintomas visuais que ocorrem na EM podem ser o resultado de uma neurite óptica — inflamação do nervo óptico — ou lesões (áreas danificadas) ao longo das vias nervosas que controlam os movimentos oculares e a coordenação visual. A neurite óptica pode resultar em visão embaçada ou esmaecida, ou cegueira em um olho. Um escotoma, ou mancha escura, também pode surgir no centro do campo visual."

Isso certamente levaria a testes mais completos para confirmar o diagnóstico de EM.

Doenças sexualmente transmissíveis (DST) — Às vezes, problemas oculares como uma conjuntivite difícil de tratar podem ser indicadores de um problema maior. "Meu primeiro paciente na faculdade de optometria tinha uma conjuntivite... que não respondia aos colírios tipicamente usados como tratamento", afirmou Bazan. Após testes adicionais, o paciente foi diagnosticado com Clamídia, uma DST.

Certos tipos de infecção por herpes também podem causar conjuntivite. Bazan diz que também já viu casos de sífilis, que pode fazer com que sua pupila fique com uma cor acinzentada. Devido ao impacto nos seus glóbulos brancos, o HIV também pode causar alterações visíveis na retina.

Doença da tireoide — A doença da tireoide pode ser revelada em seus olhos de mais de uma maneira. O ressecamento crônico dos olhos pode estar associado à doença da tireoide, observa Bazan, uma vez que a sua tireoide controla os hormônios responsáveis, em parte, pela produção de lágrimas.

Certas condições da tireoide também podem causar rigidez ou aumento dos músculos extra-oculares, responsáveis pelo controle dos movimentos oculares. Olhos inchados ou saltados são um sinal comum da Doença de Graves, um distúrbio autoimune que causa hipertireoidismo.

Estratégias para ajudá-lo a melhorar e proteger sua visão

Abaixo estão algumas etapas recomendadas que você pode seguir para ajudar a melhorar e proteger sua visão. A maioria dessas etapas envolve alterações alimentares relacionadas à visão:

Evite gordura trans — Dieta ricas em gorduras trans parecem contribuir para a degeneração macular, interferindo nas gorduras ômega-3 do seu corpo. A gordura trans é encontrada em muitos alimentos processados e assados. Alguns alimentos com alto teor de gordura trans a serem evitados incluem biscoitos, bolachas, rosquinhas, batatas fritas, frango frito, margarina, bolos e gordura vegetal hidrogenada.

Cuide do seu sistema cardiovascular — Como mencionado anteriormente, a pressão alta pode causar danos aos pequenos vasos sanguíneos da retina, obstruindo o fluxo sanguíneo. Uma das principais maneiras de manter a pressão arterial ideal é reduzindo drasticamente a ingestão de frutose. Embora seu médico possa mandar reduzir a quantidade de sal, o açúcar pode ser ainda pior para a pressão arterial.

Meu conselho padrão é manter o consumo total de frutose abaixo de 25 gramas por dia, incluindo a frutose proveniente de frutas. Se você tem diabetes, doenças cardíacas, pressão alta ou resistência à insulina, o ideal seria restringir a frutose a 15 gramas por dia ou menos até que esses problemas melhorem.

Coma vegetais folhosos — Estudos demonstraram que uma alimentação rica em vegetais folhosos de cor escura (de preferência frescas e orgânicas) é boa para a saúde ocular. Consumir grandes quantidades de vegetais ricos em carotenoides, especialmente aqueles ricos em luteína e zeaxantina, também promove uma visão saudável.

Consuma bastante gordura ômega-3 saudável — As gorduras ômega-3 se mostraram capazes de proteger a visão. Infelizmente, devido à poluição generalizada e à criação de peixes, o ideal é restringir sua escolha de peixes a anchovas, sardinhas, arenques ou salmão selvagem do Alasca. Se você precisar de um suplemento, recomendo o óleo de krill, que também contém astaxantina, um potente antioxidante que discutirei a seguir.

Normalize seus níveis de açúcar no sangue — O excesso de açúcar no sangue pode retirar os fluidos das lentes dos olhos, afetando sua capacidade de focalizar. Isto também pode danificar os vasos sanguíneos da retina, o que obstruirá o fluxo sanguíneo.

Pare de fumar — Fumar aumenta a produção de radicais livres em todo o corpo, o que eleva o risco de uma saúde abaixo do ideal de várias maneiras, incluindo o risco de problemas de visão. Se você precisar de um incentivo para parar, consulte os efeitos colaterais do tabagismo, juntamente com algumas dicas sobre como parar de fumar.

Abaixo estão algumas etapas recomendadas que você pode seguir para ajudar a melhorar e proteger sua visão. A maioria dessas etapas envolve alterações alimentares relacionadas à visão:

Degeneração macular devido à idade

Glaucoma

Cataratas

Doenças inflamatórias oculares, como irite, ceratite, retinite e esclerite

Edema macular cistoide

Oclusão arterial da retina

Retinopatia diabética

Oclusão venosa

A astaxantina também ajuda a manter a pressão ocular, os níveis de energia e a acuidade visual adequados. Visto que a lista acima inclui várias das principais causas de cegueira nos EUA, esse poderoso antioxidante tem se tornado cada vez mais importante.

Como mencionado anteriormente, o óleo de krill é uma excelente fonte tanto de gordura ômega-3 quanto de astaxantina. Se você quiser experimentar a astaxantina, recomendo começar com 2 a 4 miligramas por dia. Se você estiver tomando um suplemento de óleo de krill, lembre-se de levar em consideração a quantidade de astaxantina que você já está obtendo do krill, e ajuste a dosagem de acordo com a recomendação.

Você vai precisar dos seus olhos por toda a vida, e certamente vale a pena protegê-los. Além de serem a "janela para a alma", agora você sabe que os olhos também são um importante indicador da saúde. Tome hoje as medidas necessárias para proteger sua visão amanhã. Um bom começo pode ser agendar aquele exame oftalmológico que você vem adiando! Você não vai se arrepender de ter seus olhos examinados por um profissional nem da tranquilidade de cuidar da sua saúde de forma mais proativa.