Estudo: Com Que Frequência Pessoas Felizes Têm Relações Sexuais?

parceiros felizes

Resumo da matéria -

  • Casais que têm relações sexuais uma vez por semana relataram os maiores níveis de felicidade e este estado não aumentou com maior frequência nas relações sexuais
  • Um dos motivos pelos quais a relação sexual leva à felicidade elevada entre casais é a sensação de satisfação no relacionamento
  • A associação entre frequência sexual e bem-estar é significativa somente para pessoas em relacionamentos
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Frequentemente propõe-se — na mídia, nos filmes e similares — que quanto mais relações sexuais você tiver, mais feliz você será. Porém, isto é realmente verdade? Pesquisadores da Universidade Dalhousie no Canadá conduziram uma série de experimentos para verificar tal fato.

O primeiro estudo revelou que a associação entre a frequência sexual e o bem-estar é significativa somente para pessoas em relacionamentos. Os dois estudos seguintes envolveram somente pessoas em relacionamentos sérios e concluíram que o “número mágico” é uma vez por semana.

Embora ter relações sexuais com mais frequência — quatro vezes ou mais por semana — não fosse uma coisa ruim, isto não desencadeou felicidade adicional comparando-se com a frequência de uma vez por semana. Para casais que podem sentir-se na obrigação de ter relações sexuais mais frequentemente somente porque acreditam que deveriam, este estudo tira um pouco da pressão.

O Sexo Torna as Pessoas Mais Satisfeitas em Seus Relacionamentos

Pesquisadores revelaram que a relação sexual desencadeia uma felicidade elevada entre casais, porque ela aumenta a sensação de satisfação no relacionamento. A pesquisadora doutorada e autora líder, Amy Muise, disse à CNN:

“Para pessoas em relacionamentos, a qualidade romântica de seu relacionamento é um dos maiores indicadores de sua felicidade geral… Ter relações sexuais mais de uma vez por semana pode não aumentar esse estado (conexão no relacionamento), embora não seja ruim.”

Dito isso, é possível também de que os casais que tinham relações sexuais uma vez ou mais por semana eram mais felizes em seu relacionamento antes de tudo — o estudo não distinguiu o que vinha primeiro, o sexo ou a felicidade (e, talvez, isso não importe).

Ademais, certamente não há qualquer regra que declare que uma vez por semana seja bom para todo mundo. Alguns casais podem precisar de mais ou menos. Mais frequentemente, a terapeuta sexual Vanessa Marin sugeriu que casais gostariam de ter mais relações sexuais simplesmente porque seus horários tornam difícil encontrar tempo para isso.

Para isto, você pode tentar programá-la no calendário, embora isto também seja assunto pessoal. Algumas pessoas gostam de planejar seu tempo íntimo enquanto outras preferem a espontaneidade. Novamente, não há resposta correta — faça o que for melhor para você e seu /sua companheiro (a).

Se Você Está Feliz com Sua Vida Sexual, Não Há Necessidade de Mudar o Status Quo

Se você e seu/sua parceiro(a) estão ambos satisfeitos com a frequência sexual, não há necessidade de mudar as coisas. Na verdade, um estudo realizado concluiu que quando casais estavam “empenhados” em dobrar a frequência com que tinham relações sexuais, isto reduziu sua felicidade e o prazer sexual. É provável que tal comprometimento tenha tornado-se “obrigação” neste caso.

Conforme o autor líder do estudo, George Loewenstein, professor de economia e psicologia da Universidade Carnegie Mellon, disse à CNN, “dizer que você deve fazer algo sempre torna a tarefa menos prazerosa”.

Se, no entanto, você não tem certeza de onde está sua “zona de conforto” com relação ao sexo, por que não fazer um teste? Tente ter relações sexuais três vezes por semana por um mês, então tente uma vez por semana e vá ajustando a frequência até que você encontre o número mágico para você e seu/sua parceiro(a). É possível também que esse número mude de mês a mês.

Sexo É Bom Para Você — Realmente Bom

Como deixar o sol aquecer sua pele logo pela manhã em um dia de primavera ou consumir um alimento saudável que você ama, é sempre um bônus quando algo que faz bem também é bom para você — e este certamente é o caso do sexo.

Além dos benefícios emocionais, você pode também esperar obter os seguintes benefícios de uma vida sexual saudável.

Melhora da Imunidade

Pessoas que têm relações sexuais com frequência (uma ou duas vezes por semana) possuem níveis significantemente mais elevados de imunoglobulina A (IgA). Seu sistema imunológico IgA é a primeira linha de defesa de seu organismo.

Sua função é lutar contra organismos invasores em seus pontos de entrada, reduzindo ou até mesmo eliminando a necessidade de ativação do sistema imunológico do organismo. Isto pode explicar por que as pessoas que têm relações sexuais com frequência igualmente ficam menos doentes.

Saúde Cardíaca

Homens que fizeram amor regularmente (pelo menos duas vezes por semana) estavam 45% menos propensos a desenvolver doenças cardíacas do que aqueles que faziam somente uma vez por mês ou menos, de acordo com pesquisa publicada no Jornal Americano de Cardiologia (American Journal of Cardiology).

Menor Pressão Arterial

Atividade sexual e, especificamente, relação sexual, estão associadas a melhor resposta ao estresse e menor pressão arterial.

É uma Forma de Praticar Exercícios

O sexo ajuda a aumentar a frequência cardíaca, queimar calorias e fortalecer os músculos, assim com a prática de exercícios. Pesquisa realizada revelou que o sexo queima cerca de quatro calorias por minuto para homens e três para mulheres, tornando-o (às vezes) uma forma significativa de praticar exercícios. Pode até mesmo ajudar na manutenção da flexibilidade e do equilíbrio.

Alívio da Dor

Atividade sexual libera hormônios redutores de dores e demonstrou ajudar na redução ou bloqueio da dor nas costas e nas pernas, assim como cólicas menstruais, dor provocada por artrite e dor de cabeça.

Um estudo realizado ainda mostrou que a atividade sexual pode desencadear alívio parcial ou completo da dor de cabeça em alguns pacientes com enxaquecas ou cefaleia em salvas.

Pode Ajudar na Redução dos Riscos de Desenvolvimento de Câncer de Próstata

Pesquisadores mostraram que homens que ejaculam, pelo menos, 21 vezes por mês (durante a relação sexual ou masturbação) têm menor risco de desenvolver câncer de próstata. Esta associação precisa ser mais explorada, no entanto, pois pode haver outros fatores envolvidos na associação.

Melhora o Sono

Após a relação sexual, o hormônio indutor do relaxamento, prolactina, é liberado, podendo ajudá-lo(a) a adormecer mais rapidamente. O “hormônio do amor”, oxitocina, liberado durante o orgasmo, também promove o sono, o que pode ser especialmente benéfico se você preferir ter intimidade logo antes da hora de dormir.

Alívio do Estresse

A relação sexual faz com que seu organismo libere produtos químicos naturais do bem-estar, ajudando a aliviar o estresse e aumentar o prazer, a calma e a autoestima. Atividade sexual também ajudou pessoas a responder melhor quando submetidas a situações estressantes, como falar em público.

Aumento da Libido

Quanto mais relações sexuais você tem, mais você vai querer ter. Existe uma conexão mental e também uma conexão física, particularmente para mulheres.

Relação sexual mais frequente ajuda a aumentar a lubrificação vaginal, o fluxo sanguíneo e a elasticidade, o que, por sua vez, torna a atividade sexual mais prazerosa.

Aumento do Controle da Bexiga em Mulheres

Relação sexual ajuda no fortalecimento dos músculos do assoalho pélvico que contraem durante o orgasmo. Isto pode ajudar mulheres a melhorar o controle da bexiga e evitar incontinência.

Você pode aproveitar ainda mais este benefício praticando exercícios de Kegel durante a relação sexual (a contração Kegel é realizada pressionando os músculos pélvicos inferiores para cima e mantendo-os para cima e apertados, como se você estivesse tentando interromper o fluxo da urina).

Aumento da Intimidade e Melhora do Relacionamento

Relação sexual e orgasmos resultam em níveis elevados de hormônios oxitocina – o hormônio do “amor” – que o(a) ajuda a sentir-se conectado a seu/sua parceiro(a).

O Abraço Também é Bom para Você

Se você não tem relações sexuais regularmente, você pode ainda tirar proveito de benefícios similares de outras formas de contato íntimo — como abraçar e beijar. Como acontece na relação sexual, o abraço aumenta os níveis do “hormônio do amor” oxitocina. Isto, por sua vez, pode promover efeitos benéficos para a saúde cardíaca e mais.

Um estudo realizado concluiu, por exemplo, que mulheres mostravam pressão arterial mais baixa após um breve episódio de contato caloroso com seu parceiro. Um abraço de 20 segundos, juntamente com 10 minutos segurando as mãos, também reduziu os efeitos físicos perigosos do estresse, incluindo seu impacto na pressão arterial e na frequência cardíaca.

Isto faz sentido uma vez que o abraço é conhecido pela redução dos níveis de hormônios do estresse como cortisol. O abraço também ativa o córtex orbitofrontal no seu cérebro, que está associado a sensações de retribuição e compaixão. Um abraço de 10 segundos por dia pode desencadear reações bioquímicas e fisiológicas no organismo que podem melhorar a saúde de forma significativa.

De acordo com um estudo realizado, isto inclui:

Riscos mais baixos de desenvolvimento de doenças cardíacas

Redução do estresse

Combate à fadiga

Melhora do sistema imunológico

Combate a infecções

Melhora da depressão

Se relação sexual uma vez por semana é o ideal, quantas vezes por semana é ideal para abraços? Quanto mais, melhor. De acordo com uma pesquisa publicada no Jornal Britânico da Enfermagem Cirúrgica (British Journal of Theatre Nursing):

“… quatro abraços por dia foram um antídoto para depressão, oito abraços por dia alcançariam estabilidade mental e doze abraços por dia alcançariam crescimento psicológico real.”

O Que Há no Beijo?

Como a relação sexual e o abraço, o beijo faz com que o cérebro libere o elixir da felicidade proveniente de produtos químicos do bem-estar, como serotonina, dopamina e oxitocina. Isto não é importante somente para sua felicidade; isto pode também ajudar no fortalecimento de seu relacionamento. O beijo também demonstrou aumentar o sistema imunológico e reduzir as respostas alérgicas em pessoas que sofrem de alergias epidérmicas ou nasais.

Uma pesquisa realizada separadamente também revelou que pessoas que passaram seis semanas fazendo do beijo prioridade com seus parceiros relataram reduções significantes nos níveis de estresse. Além da melhora no estresse, os participantes da pesquisa também relataram maior satisfação no relacionamento e melhora na taxa de colesterol total.

Outro estudo ainda concluiu que homens que receberam um beijo apaixonado antes de ir para o trabalho ganharam mais dinheiro. Isto sugere que o beijo (e talvez a vida doméstica feliz que gira em torno dele) faz pessoas mais felizes, aumenta a autoestima e, finalmente, torna o dia mais produtivo.

Seu Desejo Sexual Pode Ser Impulsionado?

Se você passou por problemas físicos e/ou problemas no relacionamento, para aumentar sua libido naturalmente e ajudá-lo(a) na restauração da harmonia em sua vida íntima, pode ser necessária uma mudança no seu estilo de vida. As estratégias a seguir podem ajudar a melhorar sua vida sexual melhorando seu desejo sexual.

Reduzir, com o objetivo de eliminar, grãos e açúcares da dieta. É crucialmente importante eliminar açúcares, especialmente a frutose. Altos níveis de açúcar na corrente sanguínea podem, na verdade, desligar o gene que controla seus hormônios.

Manter uma dieta saudável, como a descrita em meu plano nutricional, que ajudará a normalizar os níveis de insulina. Esta medida simples possui profunda influência em cada área da saúde, incluindo a vida sexual.

Melhorar os níveis de vitamina D, idealmente através da exposição adequada ao sol, pois os níveis de vitamina D aumentam os níveis de testosterona, que pode melhorar a libido.

Praticar exercícios regularmente. Certifique-se de incorporar exercícios de treinamento intervalado de alta intensidade, que também melhoram a produção do hormônio do crescimento humano (HGH, mantendo a sigla em inglês).

Evitar fumar ou beber álcool em excesso.

Certificar-se de ter um sono restaurador de alta qualidade.

Considere o consumo de suplementos de colina e vitamina B5. O neurotransmissor que dispara a mensagem sexual, tanto em homens quanto em mulheres, é a acetilcolina (ACH). Com pouca ACH, a atividade sexual diminui. Uma forma de melhorar de forma segura e eficaz os níveis de ACH no organismo é consumir suplementos de colina (1.000-3.000 mg) e vitamina B5 (500-1.500 mg).

O estresse pode reduzir a libido e tornar a relação sexual a última coisa em sua mente. Tomar o controle das emoções aprendendo a Técnica da Libertação Emocional (EFT) pode realmente ajudar nesta área para reacender a vida sexual.

EFT é uma técnica de acupressão psicológica que pode ajudá-lo(a) a tratar de forma eficaz os pensamentos relacionados ao estresse e fazer com que você sinta-se mais calmo(a) e mais capaz de enfrentar os desafios, quaisquer que sejam, de forma que você seja capaz de focar em tarefas mais prazerosas.

Tente usar a maca. A Maca, erva proveniente de floresta tropical, tem sido usada por séculos como melhoradora da libido e é também usada para aliviar sintomas de menopausa em mulheres. Uma pesquisa realizada mostra que a raiz de maca pode aliviar a disfunção sexual induzida por antidepressivos em mulheres na pós-menopausa e a erva foi bem tolerada com poucos efeitos colaterais.