Por que algumas pessoas bebem urina?

urina

Resumo da matéria -

  • Alguns grupos de pessoas bebem urina há milênios. Apesar de alguns estudos de caso demonstrarem que a prática não faz muito mal, é provável que o consumo desses resíduos excretados estresse os rins e não forneça muitos benefícios
  • Dizem que a urina de uma pessoa saudável é estéril, mas através de alguns testes utilizando equipamentos sensíveis, pesquisadores descobriram que há bactérias na urina, mesmo que não haja sinais de infecções, o que sugere que essas bactérias funcionam da mesma forma que as do intestino, no sentido de causar efeitos beneficiais e prejudiciais
  • O uso tópico da urina já foi usado para tratar eczema, psoríase e dermatite atópica com sucesso. Porém, é apenas o composto de ureia presente na urina que proporciona esses benefícios e não a sua composição completa
  • Provavelmente existem muito mais produtos químicos na sua urina do que você espera, incluindo toxinas, fármacos e produtos químicos cosméticos, tornando o seu consumo mais perigoso do que era há 100 anos
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

O corpo humano é um sistema complexo que conta com uma estrutura de excreção única para se livrar de resíduos e equilibrar os níveis de água do corpo. O sistema urinário, composto por órgãos, músculos e nervos, que funcionam em conjunto para criar, armazenar e excretar a urina, pode fornecer informações importantes sobre a sua saúde.

Nós temos dois rins, onde a urina é criada, e dois uréteres, que a transportam para a sua bexiga. Os uréteres entram na parte superior da bexiga, um de cada lado. Na parte inferior do órgão, está o músculo do esfíncter que leva até a uretra, a qual leva a urina para fora do seu corpo.

Após seu corpo metabolizar os alimentos, alguns resíduos são deixados de lado. O seu sistema urinário, juntamente com seus pulmões, pele e intestinos, trabalha para equilibrar os níveis desses compostos químicos e de água. Um adulto saudável elimina cerca de 1,5 L de urina por dia, dependendo da quantidade de alimentos ou fluidos que consumiu, quanta água perdeu através do suor e da respiração, e de qualquer medicamento que esteja usando.

A ureia é um dos resíduos produzidos durante a metabolização de alimentos que contêm proteínas. Apesar da função da urina ser a excreção de resíduos metabólicos, algumas pessoas acreditam que ela possui propriedades medicinais.

A antiga prática da urinoterapia

A prática de beber urina ou aplicá-la na pele é usada mundialmente há milênios. Conhecida por Shivambu, é uma prática hindu de mais de 5.000 anos de idade, e acredita-se que ela possui propriedades rejuvenescedoras. O ato medicinal de beber urina foi praticado no Egito, na China, na Tailândia e durante o império Asteca.

Plínio, o Velho, usou a urina para o tratamento tópico de feridas, queimaduras e picadas de escorpião. Em um artigo de 2010, “A fonte dourada – Seria a urina o remédio milagroso que ninguém contou?”, Jutta M. Loeffler, uma pesquisadora da Universidade de Londres, escreveu:

"As mais de 100.000 pesquisas sobre "urinoterapia" no Google... são um indicador de que beber as ‘águas da tua própria cisterna’ ainda é, ou voltou a ser, uma prática popular hoje em dia... Parece que não existe nada que a urina não seja capaz de curar. Atualmente, seus defensores utilizam a pseudociência para explicar, na maioria das vezes de forma exagerada, os benefícios dos vários componentes da urina...

Dito isso, o caso descrito no artigo de Ogunshe, Fawole e Ajayi nesta revista é bem diferente. De acordo com ele, o uso da urina de seres humanos ou de vacas não vem de uma busca esotérica pela juventude eterna ou de problemas pessoais de alguém contra o sistema, e sim da necessidade de uma parte do mundo que sofre economicamente, onde há a falta da medicina moderna ou do dinheiro para pagar por ela.”

Loeffler continua a comentar sobre a pesquisa de Ogunshe et. Al., e como a urinoterapia pode ter ganhado popularidade em algumas regiões da África “devido ao aumento da pobreza”.

Em particular, o artigo de Ogunshe avaliou a segurança da administração de urina para crianças que sofrem de convulsões febris. Mas parece que essa é uma má ideia, pois a maioria dos testes em urinas revelaram a presença de bactérias resistentes à antibióticos.

"Na falta de ensaios clínicos adequados, é difícil provar que a urinoterapia tradicional contribui para a mortalidade infantil na Nigéria, mas devido aos resultados deste estudo, o tratamento de crianças doentes ou vulneráveis à doenças com urina deve ser fortemente desencorajado”, escreveu Loeffler.

A prática do Shivambu nos dias atuais

Apesar disso, os membros do Grupo de Encontro de Urinoterapia de Boulder, Colorado, acreditam que o consumo de urina ou o seu uso tópico é beneficial à saúde. Os membros se encontram mensalmente na biblioteca pública e os novatos são introduzidos à prática diária da urinoterapia chamada Shivambu.

Alguns membros, durante entrevistas, disseram beber suas urinas ou aplicá-las de forma tópica por anos e afirmaram que ela cura a eczema. Outros descreveram como praticam a urinoterapia, mas não falaram sobre seus benefícios. O Dr. Andrew Thornber, médico chefe da empresa Now Healthcare Group, disse à BBC Three em uma entrevista:

"A justificativa da urina é eliminar o excesso de fluidos, sais e minerais filtrados do sangue pelos rins. A urina de uma pessoa saudável é composta por cerca de 95% de água, mas os outros 5% representam resíduos que o corpo quer eliminar, como o potássio e o nitrogênio, os quais podem causar problemas, caso seu corpo os tenha em grandes quantidades.”

A urina é realmente estéril em condições normais?

Segundo as informações apresentadas por Evann E. Hilt, um pesquisador do departamento de microbiologia e imunologia da Universidade de Loyola, na conferência da Sociedade Americana de Microbiologia em 2014, normalmente as bactérias estão sim presentes, em pequenas quantidades, na urina de pessoas saudáveis.

Isso contradiz as afirmações de que a urina é estéril. Evann diz que essa crença foi originada nos anos 50, quando o epidemiologista Dr. Edward Kass desenvolveu um método para rastrear infecções do trato urinário antes das cirurgias.

Edward descobriu que um exame de urina utilizando um jato do meio (ignorando o primeiro e o último jato), usando um ponto de corte para o número de bactérias encontradas na amostra de 100.000 colônias por milímetro de urina, poderia determinar se o indivíduo possui alguma infecção do trato urinário.

O exame era considerado negativo quando as bactérias não atingiam esse ponto de corte. Evann acredita que foi a partir desse evento que a crença de que a urina de uma pessoa saudável é estéril começou, pois os pacientes eram informados que suas urinas não continham infecções e crescimento de bactérias.

O método de coleta de um jato limpo, do meio da urina, foi desenvolvido para reduzir a quantidade de contaminações bacterianas causadas quando as bactérias passam pela uretra e saem do corpo. Evann utilizou um método mais sensível para detectar níveis mais baixos de bactérias e avaliou as bactérias encontradas nas bexigas de 84 mulheres, coletadas por meio do cateterismo.

Metade dessas mulheres tinham síndrome da bexiga hiperativa (BH), o que fazia com que elas urinassem com frequência. Os pesquisadores descobriram que 71,4% das amostras continham e as mulheres com a síndrome tinham uma diversidade de bactérias maior que o grupo de controle.

De acordo com o resumo da apresentação, “um total de 217 isolados bacterianos de 77 espécies diferentes foram isolados dos pacientes com BH, enquanto 66 isolados bacterianos de 33 espécies diferentes foram isolados dos pacientes do grupo de controle”.

Os pesquisadores esperam que essas descobertas ajudem no tratamento das mulheres que sofrem de bexiga hiperativa (15%), já que muitas delas não encontram alívio para os sintomas, pois os tratamentos consideram a doença uma desordem muscular.

A indústria cosmética utiliza a ureia para tratamentos tópicos

A pele é uma barreira que protege o seu corpo dos elementos. Ela ajuda a regular a sua e é importante para equilibrar os seus níveis de hidratação. As alterações no funcionamento da pele estão associadas à doenças de pele, como a dermatite atópica, a psoríase e a eczema.

A ureia, um componente da urina, é usada em hidratantes para a pele, importantes na preservação da sua hidratação e integridade. Em alguns casos, a ureia também é adicionada em cosméticos para tratar de problemas nas unhas, como unhas encravadas. Ela tem propriedades queratolíticas e ajuda a remover os tecidos mortos e estimula a cicatrização de ferimentos.

Ela aumenta a umidade da pele, por meio do amolecimento da queratina que mantém as células da camada mais externa da pele unidas, funcionando como um esfoliante. Cremes de ureia podem ser prescritos ou comprados sem receita. Quando a ureia é adicionada a um produto, ela altera o seu equilíbrio ácido-base e retarda a perda sua perda de umidade.

De acordo com o Banco de Dados de Cosméticos para a Pele do Grupo de Trabalhos Ambientais (EWG), a ureia recebeu uma pontuação de “3”, o que a coloca no nível mais baixo dos cosméticos moderadamente perigosos. A EWG adverte que o uso da ureia é proibido nos cosméticos canadenses.

Os efeitos colaterais dos cremes à base de ureia incluem queimaduras, coceiras, vermelhidão ou irritação na área sobre a qual o creme foi aplicado. Caso você tenha algum desses sintomas ou eles se agravem, com empolamentos ou descamações, você deve procurar um médico o mais rápido possível.

A sua urina pode conter mais do que você espera

Estima-se que 70% de todos os medicamentos farmacêuticos que você consome são excretados com a urina. Outras toxinas ambientais como o tabaco, fumaça, poluição e alguns componentes dos alimentos, também são metabolizadas e excretadas pelos seus rins. Por isso, é possível descobrir se você foi exposto às essas toxinas fazendo um exame de urina.

Uma área emergente da saúde ambiental é o estudo dos adultos do DNA, ou o estudo de um segmento do DNA sujeito a um produto químico carcinógeno. Umas das formas de avaliação é através de amostras de urina, que fornecem informações que ajudam a entender melhor os estressores ambientais do seu corpo. Em outras palavras, beber urina expõe o indivíduo, pela segunda vez, aos segmentos do DNA ligados a produtos químicos carcinógenos que o seu corpo havia eliminado.

Um estudo analisou por sete anos a composição química da urina humana e encontrou pelo menos 3.079 compostos, dos quais, segundo a página Live Science, 72 eram formados por bactérias e 2.282 eram metabólitos oriundos da alimentação, medicamentos, cosméticos ou exposições ambientais.

Mantenha-se bem hidratado para cuidar do seu sistema urinário

Além de consumir as excreções que seu corpo quer eliminar, beber urina também pode levar à desidratação, E até mesmo pequenos níveis de desidratação podem causar dores de cabeça, letargia e constipação. O seu corpo tem um sistema de controle sofisticado que depende do consumo de fluidos e alimentos para repor a água perdida pela respiração, suor, urina e fezes.

Beber água pura todos os dias é muito importante para a saúde, mas muitas pessoas cometem o erro de trocar a água por outras bebidas como as bebidas adoçadas, sucos, refrigerantes e bebidas esportivas.

Em um estudo de Harvard, os pesquisadores descobriram que mais da metade das crianças dos EUA sofrem de desidratação crônica, o que pode comprometer suas saúdes e seus desempenhos acadêmicos. Como 73% do cérebro é composto por água, quando você está desidratado, o seu cérebro encolhe, podendo alterar o seu funcionamento e influenciar o seu humor.

A necessidade do seu corpo por fluidos pode variar durante o dia, ou de um dia para o outro, então uma dica importante para se manter bem hidratado é prestar atenção na cor da sua urina. Uma urina concentrada, de cor escura, é um sinal de que seus rins estão tentando reter os fluidos para manter o seu corpo funcionando, ou seja, é um bom sinal de que você precisa beber mais água.

O ideal é uma urina levemente amarelada, cor de palha. É muito importante prestar atenção no seu corpo, no seu nível de sede e na cor da sua urina. Caso você esteja se sentindo cansado ou irritado, pode ser um sinal de que você precisa beber mais água. Em média, um número saudável de idas ao banheiro em um dia é sete ou oito vezes.

+ Recursos e Referências